Com as mãos, pais cavam lama em busca de bebê e adolescentes desaparecidos em Petrópolis (RJ)

Subiu para 38 o número de corpos já encontrados após o temporal que caiu ontem (15), em Petrópolis (RJ). No desespero, duas mães tentam encontrar suas filhas, uma adolescente de 17 anos e uma bebê de um ano. Ambas são parentes.

Segundo o Jornal O Globo, entre a lama e os escombros após a encosta do Morro da Oficina desabar, Gisele Arcaminate gritava pelo nome da filha “Duda” o tempo todo. Com uma enxada nas mãos, ela tentava cavar para achar Maria Eduarda, de 17 anos, com a ajuda de familiares e amigos. A sobrinha dela, uma bebê de apenas 1 ano, também está entre as desaparecidas.

“Um bebê sem respirar embaixo dessa lama, você consegue? Eu já estou perdendo as esperanças”, disse Gisele.

Ainda segundo o jornal, Bruno Carvalho, que é parente da mãe da adolescente, é o pai da bebê que está desaparecida. Além dela, a sua sogra e primos também são procurados em meio aos escombros e lamaçal causados pela chuva torrencial. As autoridades estimam que caiu 260 milimetros de água.

“A única coisa que ouvimos é que tinha havido um desabamento, mas só tive a dimensão quando cheguei aqui”, falou emocionado.

Mais desespero

Ainda segundo o O Globo, no Morro da Oficina Adalton Oliveira gritava pelo nome da filha, Ana Clara, de 7 anos. Com as próprias mãos, ele tentava cavar até o ponto onde ele acredita que está a menina. A mulher dele, Eliane, de 44 anos, estava com a criança no bar da família, onde se encontravam muitos clientes. “Ela está aqui, ela está aqui. Cadê a minha filha?”, clamava o homem.

Adalton ainda convive com o luto pela perda do filho, Lucas, de 21 anos, que foi levado pela enxurrada e encontrado morto. O dono do bar saiu do local justamente para buscar o jovem. Ele ainda viu o rapaz vivo antes de ele desaparecer nas águas.

“Minha esposa pediu para eu ir lá em cima buscar o Lucas com medo da barreira cair. Quando cheguei, peguei ele e ouvi os estalos da casa. Nós ouvimos a barreira e fomos pular para o sentido contrário, mas ele escorregou e foi levado. Aí eu desci para ver minha filha e esposa e vi que a barreira tinha as levado também”, disse ele ao jornal.

Número atualizado

Até o meio desta manhã (16), 38 pessoas foram encontradas mortas e as buscas do Corpo de Bombeiros para encontrar sobreviventes e outras vítimas continuam intensas em todas as áreas da cidade. Pelo menos 16 pessoas foram resgatadas com vida nesta madrugada.

*** Com trechos dos jornais BandNewsTV, Metrópoles, TV Bandeirantes e O Globo

Informar Erro
Leia também