Prefeitura de Piracicaba (SP) pede para a Justiça "esconder" greve dos olhos da população

Prefeitura de Piracicaba (SP) pede para a Justiça “esconder” greve dos olhos da população

A Prefeitura de Piracicaba (SP) pediu ontem (30), através de uma liminar de urgência na Justiça, que diferentes maneiras dos servidores públicos se expressarem sejam impedidas sob pena de multa diária. Faltando menos de 24h para a paralisação, ainda não foi divulgado e nem elaborado um plano de emergência sobre o funcionamento dos serviços básicos na cidade pelo governo Almeida.

Segundo pedido na Justiça, a Prefeitura não quer que os trabalhadores causem aglomeração e nem montem estruturas na cidade de Piracicaba, inclusive de acampamentos. Isso pode configurar uma tentativa prévia de censura aos trabalhadores que querem expressar o motivo da greve.

A Prefeitura também pede que os servidores em greve sejam mantidos longe das ruas e de pontos de acesso ao Centro Cívico.

Como é uma liminar de urgência, a Justiça deve emitir um parecer nas próximas horas.

Carta

Em carta sem assinatura ontem, postada na intranet da Prefeitura, funcionários foram confrontados com informações falsas da greve, como o de desconto de dias não trabalhados, o que é ilegal. Também foi feita chantagem emocional dizendo que nossas crianças não podem voltar a ficar de novo sem aulas.

Como já dito, faltam menos de 24 horas para a greve e ainda não foi divulgado um plano de ação e de emergência para manter funcionando as UPAs e o efetivo mínimo da Guarda Civil. Só hoje, no final da tarde, é que Luciano se reunirá com a equipe, no Centro Cívico, para discutir a greve que foi aprovada em assembleia na noite de sexta-feira da semana passada.

A greve

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também