Banda larga móvel cresceu 735% nos últimos quatro anos no Brasil

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A banda larga móvel cresceu 735% em todo o Brasil, entre dezembro de 2010 e o mesmo mês de 2014, passando de 20,6 milhões de acessos para 157,9 milhões. Os dados são da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

As regiões Norte e Nordeste foram as que mais registraram novas assinaturas do serviço, com um crescimento de 784% e 795%, respectivamente.

De acordo com o gerente de projetos do Ministério das Comunicações, Pedro Lucas Araújo, o crescimento maior nessas regiões já era esperado, por uma característica natural do mercado.

“As empresas começam oferecendo o serviço em regiões mais populosas, onde o retorno financeiro é mais rápido, e depois buscam novas fronteiras.”

Ele destaca, porém, que este movimento foi mais intenso devido às políticas públicas adotadas para o setor, sempre priorizando a redução das desigualdades regionais. “Nos leilões realizados pela Anatel, por exemplo, as empresas vencedoras sempre têm que cumprir metas de expansão de infraestrutura.”

Acessos

No Norte, o serviço passou de 1,3 milhão de acessos em dezembro de 2010 para 11,2 milhões em dezembro de 2014. Já no Nordeste, o total de assinaturas foi de quatro milhões para 35,9 milhões no período analisado.

banda larga norte

Fonte: Anatel

banda larga nordeste

Fonte: Anatel

Uma das obrigações das empresas vencedoras do leilão do 4G, por exemplo, é ofertar a tecnologia de quarta geração em todas as cidades com mais de 30 mil habitantes até dezembro de 2019.

Araújo também ressalta que o enorme crescimento da banda larga móvel em todas as regiões do Brasil comprova que o serviço tem sido um importante instrumento de inclusão digital.

“Com um crescimento tão expressivo, fica evidente que o serviço está chegando a todas as camadas sociais e não apenas às classes A e B”, conclui.

Programa Nacional de Banda Larga

Criado pelo decreto nº 7.175/2010, o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) é uma iniciativa do Governo Federal que tem o objetivo principal de massificar o acesso à internet em banda larga no País, principalmente nas regiões mais carentes da tecnologia.

Para cumprir a meta de chegar a 40 milhões de domicílios conectados à rede mundial de computadores em 2014, o Ministério das Comunicações tem atuado em diversas frentes, tais como a desoneração de redes e terminais de acesso, a expansão da rede pública de fibra óptica (administrada pela Telebras) e até mesmo no programa de desoneração de smartphones.

Também implementou a chamada banda larga popular, com internet na velocidade de 1 Mbps ao valor de R$ 35 mensais (com impostos). O programa é gerenciado pela Secretaria de Telecomunicações.

Fonte: Ministério das Comunicações com dados da Anatel

Informar Erro
Leia também