Sumaré confirma a primeira morte por H1N1 desde 2013

0 2
Foto: Ilustração
Foto: Ilustração

CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Vigilância Epidemiológica de Sumaré informou que o Instituto Adolfo Lutz confirmou na última sexta-feira, dia 17 de junho, o primeiro caso de óbito por gripe do tipo H1N1 registrado na cidade desde 2013. O óbito foi registrado em abril, mas confirmado apenas agora pelo laboratório de referência para a Rede Pública de Saúde da região. Trata-se de um homem de 52 anos e morador da Região do Matão. O mesmo apresentava quadro de comorbidade.

Seguindo o protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde, assim que o paciente foi diagnosticado com quadro clínico compatível com a doença, a Vigilância Epidemiológica de Sumaré realizou uma investigação com as pessoas próximas a ele – como familiares e outras pessoas do seu convívio –, para verificar se alguma delas apresentava na época algum sintoma da doença, para que fosse tratada o mais rápido possível.

A cidade registra sete casos confirmados de gripe H1N1 neste ano, de um total de 107 suspeitas notificadas (54 delas já descartadas), 1 óbito confirmado e um óbito ainda em investigação. Em 2015, não houve nenhum registro de contaminação por esta variante do vírus da gripe em Sumaré. Em 2014, foram registrados dois casos positivos de H1N1, sem óbitos. Já em 2013, foram 20 casos confirmados, com quatro óbitos.

.

- Continue depois da Publicidade -

PREVENÇÃO – A transmissão dos diversos tipos de vírus da gripe (Influenza) acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto e não compartilhar objetos de uso pessoal, e estar com a vacina em dia.

Caso a pessoa apresente sintomas de gripe, febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações, deve procurar um Serviço de Saúde o mais rapidamente possível.

Também é importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações, como pessoas com doenças crônicas – devem procurar, imediatamente, o médico. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Informar Erro

- Continue depois da Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Autor do comentário, e não o PIRANOT, é responsável pela mensagem. Leia os termos de uso.