Vítimas de ataque em escola infantil de Santa Catarina têm velório coletivo; veja quem são elas

Três crianças, uma professora e uma agente educacional foram mortas após homem invadir a escola infantil com um facão

O velório das cinco vítimas do ataque a escola Pró-Infância Aquarela em Saudades, no Oeste de Santa Catarina, será coletivo. A informação foi repassada pela prefeitura do município catarinense. A despedida acontecerá no Parque de Exposições Theobaldo Hermes, onde funciona o ginásio da cidade. No local, uma missa de corpo presente foi celebrada a partir das 9h desta quarta-feira (05/05).

Sarah Luiza Mahle Sehn, Anna Bela Fernandes de Barros e Murilo Massing são as crianças assassinadas. Foto: Reprodução

Três crianças e duas funcionárias morreram após um ataque com facão na manhã desta terça-feira (04). O assassino, um jovem de 18 anos, deu golpes contra o próprio corpo e foi levado em estado gravíssimo para um hospital da região após o crime. O delegado regional de Chapecó, Ricardo Newton Casagrande, afirmou que o jovem entrou no local e atingiu as vítimas com um facão.

Depois de matar a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, o assassino correu para uma sala e esfaqueou quatro crianças, todas com menos de 2 anos de idade. Além disso, uma agente educacional também foi atacada. Mirla Renner, de 20 anos, chegou a ser levada ao Hospital de Chapecó, mas não resistiu aos ferimentos.

As vítimas Keli Adriane Aniecevski e Mirla Renner. Foto: Reprodução

As três crianças que morreram, conforme o delegado Jerônimo Ferreira, são Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses, Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses, e Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses.

Todas as vítimas foram atingidas com pelo menos cinco golpes de facão. A única sobrevivente ao ataque é uma criança de 1 ano e 8 meses que está internada na UTI.

Uma professora da escola, que não estava no local no momento do ataque, disse que, segundo relatos, os funcionárias esconderam os bebês quando o assassino iniciou o ataque com o facão.

De acordo com o 2º Batalhão da PM de Chapecó, a corporação começou a receber várias ligações de moradores e funcionários pedindo socorro por volta das 10h35. Segundo os relatos, uma pessoa que entrou na escola estava golpeando alunos e professores com um facão. O Corpo de Bombeiros também foi acionado e isolou a área.

A secretária municipal de Educação, Gisela Hermann, afirmou que as cenas no local eram de terror.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também