TRAGÉDIA EM BOATE NO RIO GRANDE DO SUL MATA CENTENAS DE PESSOAS

- Continue depois da publicidade -

Um incêndio na cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul, ocasionou a morte de centenas de pessoas na madrugada deste domingo por volta das 2h e 30 mim, na boate Kiss, localizada na Rua Andradas, no centro do município. Segundo informações, o lugar agregava no momento mais de 800 pessoas, em sua grande maioria, universitários e estudantes de cursos técnicos de uma universidade da cidade. Segundo informações de sobreviventes, o incêndio se iniciou devido o atrito de um sinalizador luminoso, que se encontrava na mão do vocalista da banda que comandava o show, com o teto de espuma da boate. Com o atrito o teto teria se incendiado se alastrando para o restante da boate em questão de segundos. Os presentes no recinto, percebendo as labaredas, começaram a correr desesperadamente em direção à porta principal, sendo pessoas pisoteadas por outras. No início, jovens, em estado de total desespero, ao chegarem à porta foram impedidos de saírem sem pagarem a sua comanda. Com uma enorme aglomeração na porta principal, os seguranças cederam e as postas foram abertas, porém muitas pessoas não tiveram tempo de saírem do local. Com todo o desespero, jovens tentando fugir, confundiam a porta, que não seria sinalizada como deveria, entravam nos sanitários da boate e posteriormente morrendo asfixiadas no local. A grande causa de morte teria si dado por asfixia. O prédio ficou destruído, mas não existe risco de desabamento. Os números de mortes oficiais chegam aos 232 e os feridos aos 131. Informações recebidas denunciam que haviam duas saídas da boate, ainda não sinalizadas como deveriam. A primeira seria para entrada e saída geral, e a outra seria uma saída para fumantes da “área vip” com acesso à rua. Além do mais, os extintores de incêndio não teriam funcionado como deveriam, como disseram pessoas presente. Denúncias também apontam que o alvará de funcionamento do Corpo de Bombeiros estava vencido desde agosto deste ano. O incêndio já é considerado o maior da história de Rio Grande do Sul e o segundo maior da história do Brasil.

Eldes Martins ([email protected])

Informar Erro

- Continue depois do anúncio -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir