Vacinação contra a gripe em Piracicaba tem pouca procura

.

Foto: Divulgação

CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vacinação contra gripe cobriu apenas 10,37% do público prioritário na primeira semana, informou a Secretaria de Saúde nesta terça-feira (02) quando começaram a ser vacinadas pessoas com alguma comorbidade. No dia 06, a campanha chega à zona rural.

A campanha iniciou atendendo os profissionais da saúde (prioritariamente dos hospitais), em seguida, idosos e demais agentes da saúde, depois entraram as crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes e puérperas.

No dia 6, sábado, acontecerá a vacinação na zona rural do município, quando serão montados postos volantes em pontos estratégicos para facilitar o acesso. No dia 8 é a vez dos professores da rede pública e privada. O Dia “D” ficou para 13 de maio. O processo é acumulativo e a divisão em etapas foi pensada para evitar a concentração nos postos de saúde em um mesmo período.

- Continue depois da Publicidade -

De 10 a 26 de abril, segundo dados da Vigilância Epidemiológica (VE), foram aplicadas 8.778 doses, equivalente a uma cobertura de 10,37% da população prevista para ser vacinada. Os idosos representam a maioria, com 6.265 doses, cobertura de 13,55% desse público especifico. Em seguida vêm os trabalhadores da saúde (1.489 doses), 12,14% de cobertura. Na sequência estão as gestantes (340 doses), 8,38% de cobertura. As puérperas receberam 58 doses, 8,7% de cobertura, e as crianças de 6 meses e menos 5 anos, 626 doses, 2,92% de cobertura.

De acordo com o secretário de Saúde, Pedro Mello, é fundamental que todos aqueles que têm direito à vacina contra a gripe procurem os postos de saúde e se vacinem. “Somente a prevenção pode evitar mortes. É importante que se saiba que a gripe, quando chega em seu estágio crítico, de síndrome respiratória, nas pessoas nesse público prioritário, eleva o risco de morte a 30% dos casos. Por isso não é bom brincar com a doença”, enfatizou.

Para o secretário, por se tratar de uma doença evitável com a vacinação, é um imperativo que se coloca à sociedade, forçando as pessoas que integram esses grupos prioritários para que se despertem para o problema, evitando perder esta oportunidade de se prevenir. “É uma doença evitável. Por isso, as famílias deveriam se conscientizar do risco que se corre ao não receber a dose”, explicou.

Até o final da semana será publicada uma nova matéria, elaborada pela Secretaria da Saúde, para destacar como vai ser a campanha na zona rural, com novo balanço sobre a cobertura vacinal. A campanha de vacinação contra a gripe vai até 26 de maio.

Informar Erro

- Continue depois da Publicidade -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir