Sem receber homologações, funcionários da Via Ágil recebem apoio de Barjas Negri

Funcionários demitidos da Via Ágil, ex-empresa de transporte público em Piracicaba, reclamam da falta de pagamento da homologação. Um protesto estava marcado para amanhã (16), porém por volta das 17h50 de hoje (15), o prefeito Barjas Negri, anunciou apoio aos 630 ex-funcionários.

CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na imagem estão Jorge Akira, a esquerda, Barjas Negri no centro, e João Soares, a direita
Foto: CCS

Conforme noticiado mais cedo em nossas redes sociais pelo diretor do PIRANOT Júnior Cardoso, o ato aconteceria por problemas no recebimento das verbas rescisórias e a multa do FGTS. Isso motivou uma reunião nesta tarde. Em nota, a prefeitura falou sobre aa reunião. “Barjas esteve acompanhado do secretário municipal de Trânsito e Transportes, Jorge Akira, e Soares do sindicalista José Antonio Fernandes Paiva, presidente do Sindicato dos Bancários e membro do Conespi, além de João Soares, presidente do Sindicato dos Motoristas da cidade”, disse.

- Continue depois da Publicidade -

Ainda segundo a prefeitura, João explicou que, “sem o recebimento de seus direitos os ex-trabalhadores estão preocupados, porque sabem que uma demanda trabalhista pode levar até quatro anos para ser liquidada.”. Por isso, ele enviou um ofício ao prefeito onde pede “que a Prefeitura destine os créditos da Via Ágil, ex-permissionária do serviço de transporte público, para o pagamento dos ex-trabalhadores. Esse apoio, segundo o sindicalista, já foi discutido anteriormente, quando o prefeito no rompimento do contrato disse à imprensa que garantia apoio aos ex-trabalhadores da Via Ágil.”

Ainda segundo o Poder Executivo, o “prefeito Barjas Negri já despachou o pedido do Sindicato dos Motoristas para que a Procuradoria-geral faça um estudo, para saber como repassar os créditos da Via Ágil para o pagamento das verbas rescisórias e a multa do FGTS. Além disso, o prefeito se colocou à disposição para atender um grupo de ex-trabalhadores da Via Ágil, indicado pelo sindicato, para discutir essa situação.”

A nota diz ainda que “Barjas também garantiu que a Prefeitura fará um esforço para ajudar os 630 ex-funcionários da Via Ágil. Ela acredita que a Procuradoria-geral num prazo de até 30 dias apresente uma solução para a reivindicação do Sindicato dos Motoristas. Se depender de lei municipal, Prefeitura e sindicato vão agendar reunião com a Mesa Diretora da Câmara para pedir que o projeto tenha sua votação agilizada.”

Informar Erro

- Continue depois da Publicidade -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir