Oito mortes são registradas por coronavírus hoje (01), em Piracicaba (SP)

Prefeitura acerta ao ser mais transparente em dados sobre ocupação dos leitos na cidade

Nesta terça-feira (01), mais oito moradores de Piracicaba (SP) morreram por Covid-19. Pela idade de todos, as mortes poderiam ter sido evitadas, caso as vacinas tivessem sido compradas em pelo menos uma das 14 ofertas recusadas pelo Governo Federal. A cidade se aproximada dos mil mortos.

Segundo a Secretaria da Saúde, os novos mortos são seis homens de 47, 57, 63, 72, 85 e 88 anos e duas mulheres, de 48 e 59 anos. A cidade contou ainda mais 229 novos casos em 113 homens, com idades entre 03 a 79 anos, e 116 mulheres, com idades entre 01 a 82 anos.

Mais transparência

A Gestão Luciano Almeida (DEM) deu uma bola dentro hoje ao divulgar os dados de ocupação de UTIs na cidade separados da rede SUS e privada. Antes, como já era adotada pela gestão Barjas Negri (PSDB), passava a falsa impressão de que poderia ter UTI sobrando quando não tinha. A mudança é muito positiva e o jeito anterior foi recentemente criticada por mim – Junior Cardoso – em minhas redes sociais.

Então, a situação na cidade é a seguinte:

  • Taxa de ocupação de UTI-SUS: 85%
  • Taxa de ocupação de enfermaria-SUS: 83%
  • Taxa de ocupação de UTI-privado: 87%
  • Taxa de ocupação de enfermaria-privado: 73%

Campinas é exemplo em transparência

Se puder melhorar mais, Piracicaba poderia se espelhar em Campinas, na divulgação detalhada e transparente dos dados. Mais uma vez, um grande passo que merece ser exaltado e elogiado.

Os dados acumulados são

  • 51.418 casos confirmados
  • 520 casos suspeitos
  • 86.561 casos descartados
  • 48.365 casos recuperados
  • 2069 pessoas em tratamento
  • Óbitos – 984
Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também