Prefeito de Rio Claro, do DEM, é preso suspeito de roubar R$ 4 milhões dos cofres públicos

.

Foi preso na manhã desta quarta-feira (02), e transferido para o DEIC (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado), em Piracicaba, o prefeito de Rio Claro, Juninho da Padaria (DEM), suspeito de desviar R$ 4 milhões dos cofres públicos, e acusado de posse ilegal de arma de fogo.

Foto: Wagner Romano / PIRANOT

Confira a seguir a nota recebida pelo PIRANOT da Polícia Civil sobre este caso:

Nesta data, está equipe dirigiu-se até a cidade de Rio Claro para dar cumprimento a mandados de busca e apreensão na residência do prefeito daquele município, bem como em seu gabinete, localizado no prédio da Prefeitura, haja vista haver uma investigação do Ministério Público (GAECO) em desfavor do indivíduo e um de seus secretários municipais – investigação está que apura desvio de 4 milhões de reais durante o período da pandemia em processos de compras diretas.

Durante cumprimento da ordem judicial na residência do indivíduo, está equipe logrou localizar R$ 9.600,00 em espécie, bem como diversos documentos – os quais foram recolhidos e apreendido diretamente pelos Promotores de Justiça que acompanharam a diligência.

Em um buraco na parede, atrás da banheira de hidromassagem, logramos localizar dois revólveres calibre 38 – um deles municiado com 7 cartuchos e outro com 5. Questionado, o investigado esclareceu não ter registro daquelas armas e que as teria pego emprestadas de um outro indivíduo, alegando que temia por sua segurança.

Diante das circunstâncias, foi dada voz de prisão em flagrante delito ao indivíduo, o qual foi conduzido até da sede da DEIC, sendo lavrado auto de prisão em flagrante pela Autoridade Policial competente.

Devido ambas as armas serem de calibre permitido e terem numeração, foi arbitrada fiança no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais), a qual foi exibindo-a. Dessa forma, ele irá responder em liberdade.

Foram cumpridas buscas em alguns setores da prefeitura de Rio Claro, onde computadores e documentos foram apreendidos para posterior análise.

A operação contou com a presença de 6 Promotores de Justiça, equipes da DEIC Piracicaba (1ª DIG, 2ª DISE, 3ª DHPP e GOE) e UIP D9.

No tocante as investigações relacionadas a apuração de eventual desvio de verba durante a pandemia, esta permanece a cargo do Ministério Publico (GAECO).

Foto: Wagner Romano / PIRANOT
Informar Erro
Leia também