Por trajetória e memória, ex-sargento da PM assassinado será homenageado

.

Foto: Arquivo

A fim de que homenagear o ex-sargento da Polícia Militar, Arnaldo Francisco de Brito, assassinado em 2014 em frente a um restaurante, a Câmara aprovou o projeto de lei 97/2017, de autoria da vereadora Adriana Cristina Sgrigneiro Nunes, a Coronel Adriana (PPS).

Brito nasceu em 4 de outubro de 1969, em Santo André (SP). Ingressou na Polícia Militar em agosto de 1990, como soldado nas fileiras da Corporação. Formou-se sargento em 2010 e comandava a equipe da Força Tática do 10º BPM/I (Batalhão da Polícia Militar do Interior).

“Defensor da ordem e da disciplina, o 2º sargento Brito deixou, para a história da Polícia Militar do Estado de São Paulo e em especial do 10º BPM/I, um legado de exemplo e orgulho aos seus superiores, pares e subordinados, pois, durante os mais de vinte e três anos de serviços dedicados a servir e proteger a comunidade piracicabana, prendeu 136 perigosos criminosos e outros 16 criminosos procurados pela Justiça, além de ter apreendido mais de 46 armas de fogo”, comenta Adriana.

Em sua ficha individual da PM, constam 138 elogios e Láureas de Mérito Pessoal em quinto, quarto, terceiro, segundo e primeiro grau, recebidos em razão de sua atuação nas ocorrências policiais que participou.

Era casado com Ana Lúcia Teixeira da Silva Brito e os filhos Isabela, Nicolas e Matheus, de respectivamente 10, 13 e 16 anos.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também