Piracicaba (SP): PM faz campanha para arrecadar dinheiro para cirurgia de policial doente

Ajude, se puder: o policial foi diagnosticado com papiloma e cada cirurgia custa em média R$ 14 mil

Na manhã desta sexta-feira (12), o policial militar Cabo Lopes e demais batalhões daqui da região de Piracicaba (SP) organizaram uma campanha a fim de arrecadar dinheiro para o custeio de cirurgias de emergência para o policial Rodrigo. O policial está com papiloma nas cordas vocais.

Piracicaba (SP): PM faz campanha para arrecadar dinheiro para cirurgia de policial doente
Rodrigo, o policial militar acometido pelo papiloma. Foto: Divulgação

O papiloma é considerado o tumor benigno mais comum de ocorrer na laringe, embora alguns médicos o descrevam como uma condição pré-maligna. Geralmente o papiloma causa rouquidão na vítima, podendo ainda, em casos mais graves, causar obstruções agudas nas vias aéreas.

Como o policial Rodrigo precisará passar por cirurgias, policiais parceiros daqui de Piracicaba (SP) tiveram a ideia de organizar uma campanha a fim de arrecadar dinheiro, visto que cada cirurgia custa em média R$ 14 mil. Para o tratamento, o policial Rodrigo precisará de no mínimo seis cirurgias.

“Há dois anos, fui diagnosticado com o vírus que causa papiloma nas cordas vocais”, explicou o policial Rodrigo, vítima de papiloma. “De lá para cá, já fiz duas cirurgias. Contudo, no último retorno que fiz ao médico, foi constatado uma alteração. O vírus se alastrou muito e agora vou precisar fazer um tratamento de cinco ou seis cirurgias, sendo uma por mês e com aplicação de medicamento importado.”

COMO AJUDAR? — Quem quiser ajudar no custeio das cirurgias do policial Rodrigo, pode fazer doações de qualquer valor para Banco do Brasil; Agência 6864-0; C/C 705-6. A conta pertence ao Cabo Lopes, um dos responsáveis pela arrecadação. O CPF (válido também para PIX) é 363012408-98.

Informar Erro
Leia também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Prosseguir Mais detalhes