Piracicaba (SP): nove estabelecimentos foram interditados na cidade nos últimos dias

Força-tarefa realizou 73 inspeções nesse período

No período de seus dias, de 30 de março a 04 de abril, a Prefeitura de Piracicaba (SP) intensificou a fiscalização em bares, restaurantes, lanchonetes, festas particulares e clandestinas, na fase mais restritiva do combate à Covid-19, realizando 73 inspeções, que resultaram na interdição de nove estabelecimentos.

Bar interditado na área central. Foto: Divulgação/Prefeitura de Piracicaba

O fato que mais chamou a atenção foi uma festa particular e um condomínio próximo ao distrito de Ártemis, no dia 31 de março. Após denúncia, a força-tarefa foi ao local durante a tarde e orientou os organizadores a não fazer a festa. Mesmo assim, deram continuidade ao evento e a festa foi interditada. Tanto organizadores quanto o proprietário da chácara, que era alugada, serão autuados. O síndico do referido condomínio também poderá ser responsabilizado.

A força-tarefa também interditou um bar na região central. O proprietário já havia sido orientado de que deveria deixar o estabelecimento fechado, mas desrespeitou a orientação.

Boletim de Ocorrência

No sábado (03), o proprietário de um empório no bairro Santa Cecília se recusou a fechar seu estabelecimento comercial, após a interdição emitida pela força-tarefa. Nesse caso, foi registrado um Boletim de Ocorrência por desobediência, com o proprietário do estabelecimento sendo autuado. Se ele não se manifestar em dez dias, poderá ser multado com valores que variam de R$ 2.800 a R$ 6.800.

Aglomeração

Outro fato curioso aconteceu na Área de Lazer do Trabalhador, no dia 02 de março, quando a força-tarefa recebeu uma denúncia anônima de que haviam dezenas de pessoas no local. Ao checar, constatou-se que a denúncia procedia. Os membros da Guarda Civil pediram para que as pessoas deixassem o parque, evitando assim aglomerações.

A força-tarefa da Prefeitura Municipal é composta pelo Centro de Vigilância em Saúde (Cevisa), órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde e do qual fazem parte o Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador) e a Vigilância Sanitária, além da Secretaria de Finanças, Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte), Procon, Guarda Civil e Polícia Militar.

Como denunciar

As equipes da força-tarefa seguem um cronograma e também atendem as denúncias realizadas por meio do 153 (GC), 199 (Defesa Civil) e (19) 3426-1996 (Pelotão Ambiental).

Informar Erro
Leia também