Piracicaba (SP): medicamentos para intubação podem acabar em abril se o número de internação seguir alto

Embora a Secretaria de Saúde Piracicaba (SP) já tenha iniciado os trâmites para nova compra, o que as empresas e distribuidores respondem é que não têm os medicamentos para vender

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Piracicaba (SP) já não tem em estoque os medicamentos conhecidos como bloqueadores neuromusculares, que promovem o relaxamento da musculatura para intubar pacientes. Além disso, o estoque dos demais medicamentos, também necessários para o procedimento (analgesia – eles inibem a sensibilidade à dor; e a sedação), deve acabar no decorrer do mês de abril, caso persista a internação de grande quantidade de pessoas.

Foto: Divulgação/Prefeitura de Piracicaba

Embora a Pasta já tenha iniciado os trâmites para nova compra, o que as empresas e distribuidores respondem é que não têm os medicamentos para vender.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o órgão firmou acordos com os fornecedores para compra desses medicamentos e vai distribuí-los aos Estados. Até o momento, de acordo com a SMS, Piracicaba (SP) recebeu, no último fim de semana, 100 ampolas de 2,5 ml de atracúrio (um bloqueador neuromuscular). Porém, o consumo médio diário desse medicamento na rede municipal de saúde é de 68 ampolas.

Na manhã do dia 31 de março, a SMS foi informada pelo DRS-10 (Departamento Regional de Saúde de Piracicaba), do Governo do Estado, que o MS emitiria nova grade de distribuição. No início da noite do dia 01 de abril, o DRS-10 informou à Pasta que entre os dias 02 e 03 de abril, chegariam bloqueadores neuromusculares suficientes para, em média, 15 dias.

Oxigênio

De acordo com a SMS, em Piracicaba (SP) o abastecimento de oxigênio está dentro da normalidade e não há risco de desabastecimento no atual momento, uma vez que o cenário muda constantemente. A pasta mantém contato diário com a empresa e com a transportadora responsável pela logística para garantir oxigênio à rede municipal de saúde.

Foto: Divulgação/Prefeitura de Piracicaba

O secretário de Saúde, Filemon Silvano, determinou ainda a retirada de todos os cilindros de oxigênio que estavam na rede básica sem uso e os migrou para as necessidades das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) do Piracicamirim e Vila Rezende e COT (Central de Ortopedia e Traumatologia), unidades referência no atendimento de pacientes com Covid-19 no município. Caso seja necessário, a Pasta tem recursos para levar os cilindros até a empresa fornecedora para recarregá-los.

Leia também

 

Informar Erro
Leia também