Piracicaba (SP): começa neste sábado (16) arrastão do combate à Dengue

O trabalho de recolhimento de materiais inservíveis começa por voltas das 08h30 e permanece até às 14h

A Secretaria de Saúde, por intermédio do Plano Municipal de Controle do Aedes (PMCA), ligado ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), inicia neste sábado (16) o arrastão do combate à Dengue, doença causada pelo mosquito Aedes Aegypti. O cronograma inicial define ações até o mês de maio, mas elas ocorrem durante o ano todo.

dengue
Foto: Divulgação

Neste primeiro dia, serão quatro caminhões circulando pelos bairros da região Oeste da cidade, composta pelos seguintes bairros: Vila Cristina, Vila Cristina II, Jardim Stênico, Monte Verde, Jardim Cruzeiro, Jardim Monte Branco, Jardim Regina, Nova Paulista, Jardim Tarumã, Jardim João Conceição, Jardim Borguesi e Jardim Glória.

O trabalho de recolhimento de materiais inservíveis começa por voltas das 08h30 e permanece até às 14h. O destino final desse material é a Central de Resíduos Sólidos, no bairro Palmeiras, onde é feito seu tratamento e destinação adequada.

Para o bom resultado do mutirão, os moradores dos bairros citados devem deixar os inservíveis na calçada, lembrando que não são retirados lixo doméstico, podas de árvores e entulhos de construção.

Segundo o secretário de Saúde, Filemon Silvano, essas ações serão realizadas todos os sábados e têm como objetivo eliminar os criadouros do vetor da doença. “É uma oportunidade que a Prefeitura oferece aos seus munícipes para a retirada de criadouros de mosquitos da dengue e de outros animais nocivos à saúde pública, como ratos, baratas e escorpiões. Os criadouros são recipientes que podem acumular água da chuva, tornando-se ambientes propícios à reprodução do Aedes aegypti. Eliminá-los é uma medida preventiva fundamental de combate”, explicou.

O secretário destacou também a necessidade de a população ter consciência e ajudar nessa batalha. “A eficácia dessas medidas depende da colaboração de todos, colocando esses inservíveis na calçada para sua remoção, uma vez que a maior parte desses materiais está nas próprias residências, servindo como berçário para a proliferação do mosquito”.

O último Índice de Breteau de Piracicaba (outubro de 2020), que indica o grau de infestação larval, deu resultado abaixo de 1, o que significa situação de controle. No entanto, as ações preventivas são fundamentais para evitar que o índice aumente, em decorrência da chuva e do calor, e a situação se agrave.

Informar Erro
Leia também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Prosseguir Mais detalhes