Piracicaba (SP): bares foram multados, estabelecimentos interditados e festas encerradas nos últimos dias

Multa varia de R$ 2.800 a R$ 6.800

A Prefeitura de Piracicaba (SP) intensificou a fiscalização na fase mais restritiva do combate à Covid-19, determinado pelo decreto municipal número 18.653. No período de cinco dias (25 a 29/03), a força-tarefa inspecionou 67 estabelecimentos entre bares, restaurantes, lanchonetes e festas, interditando nove estabelecimentos e multando outros dois reincidentes, com valores que variam de R$ 2.800,00 a R$ 6.800,00.

Foto: Divulgação/Prefeitura de Piracicaba

Os estabelecimentos comerciais multados por reincidência são dois bares localizados nos bairros São Dimas e Bairro Alto. Outros três, situados no Castelinho, Ondinhas e Paulicéia, foram autuados por desrespeito ao decreto municipal.  Vale lembrar que as denúncias mais comuns recebidas pela Prefeitura têm sido justamente sobre bares em funcionamento irregular na periferia da cidade.

AGLOMERAÇÃO – Por meio de denúncia anônima, a força-tarefa chegou a uma chácara na Vila Sônia no último domingo, que promovia uma festa particular, reunindo entre 30 e 40 pessoas. Os responsáveis foram orientados a encerrar a festa, fato que ocorreu de maneira pacífica. Também por intermédio de denúncia anônima, um posto de gasolina em Ártemis foi interditado por permanecer aberto no domingo.

Os agentes da fiscalização da força-tarefa estão divididos em duas equipes que percorrerão todas as regiões da cidade diuturnamente até o dia 04/04.  As equipes que trabalham durante o dia dão início à fiscalização a partir das 08h30. Já as equipem noturnas começam a fiscalizar a partir das 19h30.  A força-tarefa é realizada pelo Centro de Vigilância em Saúde (Cevisa), órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde e do qual fazem parte o Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador) e a Vigilância Sanitária, além da Secretaria de Finanças, Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte), Procon, Guarda Civil e Polícia Militar.

Importante ressaltar que está proibida a reunião de mais de dez pessoas, sendo considerada aglomeração. Desta forma, proprietários de chácaras devem evitar alugar os locais, já que na maioria das vezes são usados para festas clandestinas. Nesses casos, tanto proprietário quanto organizadores da festa estão sujeitos a multa. 

DENÚNCIAS – As equipes da força-tarefa seguem um cronograma e também atendem as denúncias realizadas por meio do 153 (GC), 199 (Defesa Civil) e (19) 3426-1996 (Pelotão Ambiental).

Informar Erro
Leia também