Família denuncia cemitério de Piracicaba por vender seu jazigo e remover restos de familiares

Uma família está acusando o Cemitério da Vila Rezende, em Piracicaba (SP), de ter vendido seu jazigo no cemitério e ainda de ter feito a remoção de todos os familiares enterrados. A vítima Zilá Veronesi fez a denúncia ao Jornal PIRANOT nesta quinta-feira (13).

De acordo com Veronesi, ela foi até o cemitério para visitar seus familiares e, ao olhar para seu jazigo, se deparou com outra família enterrada no local. Por conta disso, ela foi até a recepção e tomou ciência que o jazigo que pertence a sua família desde 1984 foi vendido. “Nós fomos fazer uma visita e descobrimos que nosso túmulo não existe mais”, comentou Zilá Veronesi. “Já tem até outra pessoa enterrada lá! Mas como eles podem vender o meu túmulo se eu possuo registro de compra?”

Foto: Família.

A administração do cemitério alega que agiu em conformidade com os Decretos Municipais 16805/16 e 17035/17 e que fez a remoção de todos os restos mortais da família de Zilá Veronesi por conta do abandono do jazigo. A família protesta. “Nós sempre fazíamos visita em datas comemorativas. O túmulo estava pintado de verde e possuía até uma foto de bronze da minha bisavó”, diz Bianca, neta de Zilá. Ela frisa também que o túmulo recebia manutenções frequentes.

A família conta que ficou sabendo da venda de seu jazigo há cerca de 15 dias. Como Zilá reside em São Pedro, decidiu vir até Piracicaba para visitar o resto de sua família que ainda vive aqui. Assim, todos os irmãos reunidos foram até o Cemitério da Vila Rezende para visitar os familiares falecidos. Foi aí que descobriram essa surpresa desagradável.

Bianca ainda contou com exclusividade ao Jornal PIRANOT que haviam quatro membros de sua família enterrados ali. Todos foram removidos e ela diz não saber para onde os restos mortais foram levados.

“Nós já fomos atrás do advogado e ele entrará com uma ação”, comentou ela. “Nós também já fomos atrás da Prefeitura, porque é ela que toma conta do cemitério. Todos já estão sabendo do caso e de todo o processo.”

O outro lado

Em nota, a administração do cemitério relatou que foram cumpridos os “Decretos Municipais 16805/16 e 17035/17, que dispõem sobre a transferência de restos mortais de jazigos abandonados no Cemitério Municipal da Vila Rezende para os Ossuários Públicos Municipais.”

Decreto Municipal Nº 11057 de 21 de Março de 2005

Art. 5º “Nos casos em que restar comprovado o abandono ou o desinteresse do titular da concessão e de seus sucessores pela sepultura, o respectivo termo de concessão será revogado por ato do Poder Executivo Municipal e a sepultura ficará disponibilizada para nova concessão.”

Lei Ordinária Municipal Nº 7.053, de 04 de Julho de 2011

§ 1º “o concessionário deverá realizar a manutenção periódica das construções existentes no local, arcando com os custos decorrentes de reformas, ampliações e novas construções.”

Elaine diz ainda que “os restos mortais de jazigos retomados foram exumados e transladados para Ossuário Municipal da Saudade”.

Informar Erro

- Continue depois do anúncio -

Leia também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Prosseguir Mais detalhes