Em Piracicaba, Barjas reúne vereadores para explicar rompimento com a Via Ágil

No sábado (09), o prefeito Barjas Negri se reuniu com 12 vereadores do município para explicar oficialmente o rompimento do contrato com a Via Ágil, empresa que é responsável pelo transporte público da cidade desde 2013. Na reunião, Barjas disse que o grupo da Prefeitura, coordenado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Semuttran), já trabalhava desde o início do março no acordo de rompimento e substituição da empresa.

- Continue depois da Publicidade -

piracicaba - ônibus
Foto: Júnior Cardoso / PIRANOT

Segundo o prefeito, a Via Ágil vinha desde janeiro de 2020 conversando com a Prefeitura de Piracicaba, demonstrando as suas dificuldades financeiras. Ela venceu a licitação para explorar o transporte público em 2013, com perspectiva de crescimento da economia; porém, vem a crise de 2015 que se arrasta até 2016. Nesse momento, a Prefeitura propõe e a Câmara de Vereadores aprova um subsídio ao transporte da ordem de R$ 5 milhões. Mesmo assim, o subsídio não garante melhoria à empresa em 2017, 2018 e 2019, porque a economia patina, não cresce e o desemprego só aumenta, o que reduz drasticamente o número de passageiros pagantes. A tarifa – como salientou o prefeito – é a única receita que cobre os custos da empresa. Sem passageiros pagantes com custos altos – aumento de combustíveis, pneus etc – a empresa foi acumulando dívidas. Até que, agora em março, com a pandemia e a necessidade do isolamento social, o número de passageiros caiu drasticamente (cerca de 80%).

Com isso, a empresa oficializa em 17 de março o pedido de rompimento do contrato de maneira amigável. A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes contrata a Fipe para ajudar neste rompimento para apurar os créditos e as dívidas da empresa. Na sexta-feira (08), ocorreu oficialmente a assinatura do rompimento.

- Continue depois da Publicidade -

Além disso, o grupo de trabalho, já sabendo da intenção da Via Ágil em romper o contrato, começa a trabalhar numa alternativa para que não ocorra a descontinuidade dos serviços de transporte público de passageiros, mesmo neste momento de pandemia. Começam as consultas a empresas. Segundo o secretário Jorge Akira, de Trânsito e Transportes, o principal problema neste momento é que no País várias empresas de transporte coletivo estão com problemas, com pedidos de recuperação judicial e rompimento de contratos.

Até esta sexta-feira, 15 de maio, o grupo de trabalho da Prefeitura de Piracicaba apresentará uma proposta ao prefeito Barjas Negri, que garanta a continuidade do transporte de passageiros na cidade.

Informar Erro

- Continue depois da Publicidade -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir