Diretoria da Esalq/USP rebate sindicato, diz que serviço era essencial e classifica morte como “fatalidade”

A diretoria da Esalq/USP enviou nota ao PIRANOT falando sobre a morte de um trabalhador picado por abelhas na semana passada. No documento, a instituição se defende de críticas de um membro do sindicato, veiculadas na sexta-feira (30).

Segundo a nota, o caso foi uma fatalidade. “A atividade realizada pelo funcionário estava sendo desenvolvida (uma vez por semana em escala de revezamento) por ser considerada atividade ESSENCIAL: serviço de prevenção à FEBRE MACULOSA BRASILEIRA no Campus Luiz de Queiroz, respeitando todos os protocolos de SEGURANÇA DO TRABALHO e as recomendações do PLANO USP de PREVENÇÃO à COVID-19.”, diz um trecho.

Ainda segundo o documento, “A Diretoria da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” lamenta profundamente o ocorrido e está envidando todos os esforços para dar apoio à família.”.

Informar Erro
Leia também