Constante falta de água em Piracicaba volta a ser discutida na Câmara de Vereadores

Foi sugerido que seja marcada uma reunião com o presidente do Semae, José Rubens Françoso, para que ele dê esclarecimentos sobre o problema

- PUBLICIDADE -

Na noite de quinta-feira (17), a constante falta de água em diversos bairros de Piracicaba voltou a ser discutida na Câmara de Vereadores da cidade, durante a 19ª reunião ordinária. Os parlamentares pediram providências ao Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto).

A regiões do Cantagalo, de Santa Terezinha e os bairros Nova Suíça, Vila Cristina, Jardim São José e Balbo foram citados pelos vereadores como os locais mais afetados pela falta de água. O crescimento sem planejamento de loteamentos e condomínios em toda a cidade foi apontado pelos vereadores como um dos motivos da falta de abastecimento de água. Foi sugerido que seja marcada uma reunião com o presidente do Semae, José Rubens Françoso, para que ele dê esclarecimentos sobre os problemas de abastecimento de água.

A perda de águas no município também foi apontada como uma das causas da falta de abastecimento nos bairros da cidade. Os vereadores aprovaram com 18 votos favoráveis e 2 contrários a Emenda 1 ao projeto de lei 68/2020, que dispõe sobre o Plano Plurianual para o período de 2018 a 2021. A Emenda 1 autoriza aporte financeiro de R$ 3 milhões para o Semae desenvolver programa de combate às perdas de água, que hoje, segundo a justificativa da Emenda 1, gira em torno de 46% do total da água produzida em Piracicaba.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Informar Erro

- Continue depois do anúncio -

Leia também

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir