Comprar nos varejões municipais de Piracicaba pode ser até 25% mais barato

.

Foto: Justino Lucente/CCS

A pesquisa semanal feita pelo Departamento de Abastecimento (Depab), da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Sema), mantida pela Prefeitura de Piracicaba, mostra que o percentual de economia na compra de hortifrutigranjeiros nos varejões municipais está em -25,33 %.

Esta variação percentual da pesquisa foi obtida comparando-se os preços praticados pelos varejões com a média dos preços nos estabelecimentos da iniciativa privada, para uma cesta com 37 produtos mais comercializados nos varejões, que totalizou o custo de R$ 155,44. Na iniciativa privada a cesta alcançou o total de R$ 194,82.

Este fato ocorre porque os preços e a qualidade dos produtos são controlados pelos Agentes de Abastecimento da Sema e a comercialização é feita por pequenos produtores do município e pelos permissionários, que buscam os seus produtos direto na roça ou nos entrepostos dos Ceasas de Campinas e de Piracicaba, conseguindo praticar preços menores.

De acordo com o diretor do Departamento, Nilton Rubens Barbosa, entre as principais alterações nos preços as baixas registradas foram no grupo das frutas nacionais e importadas. A melancia baixou 8% e o maracujá azedo, 6,20%. Segundo Barbosa, a baixa da melancia ocorre pelo acúmulo nas lavouras produtoras de Tocantins e Goiás e a diminuição da demanda na região Sudeste.

No grupo dos legumes, as baixas foram o tomate salada (-15,79%) e o pimentão verde (-10%). A baixa do tomate resulta do aumento da temperatura nas regiões produtoras, que acelerou a maturação dos frutos, além do baixo consumo motivado pelo alto preço das últimas semanas.

Nas verduras, as baixas ficaram com o alface (-10,66%), couve maço (-18,23%), chicória ( -17,37%) e rúcula (-9,86%). Os motivos são a elevada oferta, em clima propício ao desenvolvimento das folhosas, aliado ao baixo consumo de saladas em clima ameno. Já no grupo dos bulbos e tubérculos, as baixas registradas foram no alho (-5%) e na batata (-13,97%). No caso da batata, houve oferta satisfatória no mercado consumidor.

Referente as altas registradas no grupo das frutas nacionais e importadas, a principal foi o limão taitti (+6,67%.), devido a redução da oferta. No grupo dos legumes, as maiores altas foram a vagem (+22,23%), quiabo (+12,44% ) e o pepino caipira (+4,35%). Altas atribuídas a baixa oferta no mercado consumidor, devido ao clima ameno, que retarda o desenvolvimento e a maturação destes legumes. A única alta no grupo das verduras foi o repolho verde ( +2,08%). No grupo dos bulbos e tubérculos não houve alta.

Estes preços são válidos até o próximo dia 29 de agosto e o consumidor poderá fazer suas compras nos seguintes varejões :

Terça-feira:

Jupiá (Rua Dos Corimbatas esquina com avenida dos Marins,das 6h às11h)

Água Branca (Avenida Edne Rontani Basetti x Rua Montevideu, 232, das 15h às 20h)

São Francisco (Rua Uchôa ,488 – ao lado do PSF, das 15h às 19h30)

São Jorge (Avenida Antonio Mendes de Barros Filho, 1000 – Próximo ao Terminal São Jorge,das 15h às 19h30).

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também