“Caso precise, vamos para a Justiça”, diz Abdala sobre retenção de verba para hospital de câncer de Piracicaba

O ex-vereador Marcos Abdala (MDB), participou no último final de semana, da ação “Abraço Solidário” ao Hospital Ilumina de Piracicaba (SP), que trata de pessoas com câncer. O ato foi convocado após uma retenção de R$ 700 mil do Governo Luciano Almeida (DEM) contra a instituição.

Na imagem, a presidente do hospital Adriana Brasil, a filha do ex-vereador Lorena e ele, Marcos Abdala – Foto: Divulgação

Segundo Abdala, ele já sentiu na pele a necessidade de ter um hospital referência em câncer. “Quando minha filha tinha 15 anos, descobrimos que ela estava doente. Graças a instituições como o Ilumina, tudo deu certo, e hoje ela está com 23 anos e saudável”, contou. “Se preciso for, acionaremos a Justiça para garantir os recursos para o hospital não parar”, disse.

O abraço

O abraço solidário realizado no último sábado (17) foi uma demonstração de apoio e solidariedade da sociedade ao Hospital Ilumina”. A declaração foi feita pelo vereador Pedro Kawai (PSDB) que participou do ato em defesa da entidade, considerada referência no diagnóstico precoce de vários tipos de câncer, que corre o risco de não receber o repasse de R$ 700 mil, feito à prefeitura, sendo R$ 500 mil destinados pela senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) e R$ 200 mil pelo deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP).

De um lado, a prefeitura alega que a Fundação Ilumina já ultrapassou o teto de repasses por emendas parlamentares, o qual, segundo declarou o secretário municipal de Saúde, Filemon Silvano, em audiência realizada pela Câmara de Vereadores na última terça-feira (13), é de R$ 368.051,61 estipulado pelo Ministério da Saúde. “Quando ultrapassa esse limite, a emenda é destinada à Prefeitura”, afirmou Silvano.

Mas segundo a gestora da Fundação e do Hospital Ilumina, Dra. Adriana Brasil, afirma que “o teto era esse ano passado e, mesmo assim, recebemos R$ 900 mil via Prefeitura. O antigo gestor promoveu os ajustes junto à Câmara para que o recurso fosse empregado no seu destino”. A médica sugeriu que o Secretário observe os encaminhamentos técnicos e administrativos já realizados para realizar o repasse dentro da legalidade.

O vereador Pedro Kawai que, durante a audiência defendeu maior entendimento entre as partes pelo bem dos pacientes, disse que o atual governo deve manter o “espírito público” em questões que envolvem, sobretudo, a saúde da população. Ele observou que o problema com o repasse dessas emendas parlamentares preocupa também outras entidades assistenciais do município, as quais temem um recuo de parlamentares dispostos a repassar verbas estaduais e federais para a cidade. “Espero que isso se resolva o quanto antes, sem que seja por decisão judicial”, disse Kawai. Segundo ele, esse tipo de problema pode tirar Piracicaba da relação de cidades contempladas por emendas.

*** Com trechos de release da Câmara Municipal de Vereadores

Informar Erro
Leia também