Cachorro maltratado em Piracicaba passa bem e recebe o nome de Tião

Conforme o Jornal PIRANOT já noticiou anteriormente, cinco homens foram presos, e, posteriormente, liberados, depois de maltratarem um cachorro em Piracicaba (SP). O caso ocorreu no último sábado, dia 18.

- Continue depois da Publicidade -

Na imagem tem uma foto do cachorro maltratado
Foto: Divulgação

Após todo o episódio, que obteve repercussão nacional, o cão foi resgatado e encaminhado ao Instituto Luisa Mell, onde recebeu todo o apoio necessário. Na tarde desta quinta-feira (23), a página da Luisa Mell nas redes sociais informou que o cachorro recebeu o nome de Tião e já está disponível para adoção. “Graças a nossa união, conseguimos fazer a diferença na vida desse pequeno. Nosso pequeno está bem, longe de quem fez mal a ele, e cada dia mais carinhoso”, informou a mensagem.

Instituto Luisa Mell

Fundado em fevereiro de 2015, o Instituto Luisa Mell atua no resgate de animais feridos ou em situação de risco, recuperação e adoção. A Instituição mantem, atualmente, um abrigo com cerca de 300 animais, entre cães e gatos, todos resgatados das ruas, onde eles são protegidos, alimentados e aguardam pela chance de serem adotados.

O caso

Cinco homens foram vistos, na manhã de sábado (18), maltratando o cachorro próximo à pista de skate da Rua do Porto, em Piracicaba (SP).

Segundo a nota, os policiais tomaram ciência do caso através de um vídeo veiculado em rede social, de que por volta das 10h de hoje, cinco indivíduos teriam praticado maus tratos contra um cachorro. “Nas imagens foi possível observar que dois deles lançam o cão na água por duas vezes, em elevada altura, enquanto os outros três observam, riem, sendo que ainda dois deles filmam a situação”, diz o documento.

Diante de um ato de tamanha covardia, “os policiais – que se encontravam de folga, prontamente convocaram as equipes e encetaram diligências, logrando identificar os cinco indivíduos”. Foi apurado que quatro deles são moradores de rua, acolhidos em isolamento no Ginásio do Jaraguá, local criado pela Prefeitura de Piracicaba para abrigar pessoas em situação de vulnerabilidade durante a pandemia. O quinto envolvido é justamente o responsável, um professor de educação física da Prefeitura de Piracicaba, o qual saiu com os quatro moradores de rua acolhidos para caminhar e acabou não impedindo que cometessem o ato.

- Continue depois da Publicidade -

Segundo a polícia, “os cinco foram detidos e encaminhados a sede da DEIC, a qual foi aberta especialmente para receber tal ocorrência. Compareceram na unidade o Delegado Divisionário da DEIC Dr. Wilson Lavorenti, bem como a Delegada de Polícia Dra. Juliana Ricci, que lavrou a ocorrência – ambas Autoridades que também se encontravam em dia de folga”.

Foi apurado ainda que devido a cidade ter regredido a fase vermelha, os moradores acolhidos não poderiam ter saído do isolamento, mesmo que acompanhados do professor responsável. O cão, que possuí cegueira em um dos olhos, mancava de uma das patas e aparenta já ter idade avançada, foi apreendido e entregue a representante de um grupo de proteção animal.

Prefeitura de Piracicaba abriu sindicância para apurar o ocorrido

Ainda no começo da noite daquele sábado (18), a Prefeitura de Piracicaba informou, por meio de uma nota, que abriria uma sindicância, já nesta segunda-feira (20), para apurar os maus tratos a um cachorro no Parque da Rua do Porto. Os cinco homens foram presos, ouvidos, e, na sequência, liberados. Um deles é um servidor público e os demais internos do projeto Lar de Ruas, que abriga andarilhos durante a pandemia.

De acordo com o procurador-geral do município, Dr. Sérgio Bissoli, a atitude do servidor é lamentável, principalmente quando era o responsável pela saída das outras pessoas do abrigo Lar de Ruas, da Prefeitura. “O procurador-geral garante que o poder Executivo tem trabalhado muito para garantir a proteção dos animais de rua, tanto que comprou um Castramóvel para atender, nos bairros, cães e gatos e, junto ao governo do Estado, garantiu terreno e gestão no futuro hospital público veterinário de Piracicaba”, informou a Prefeitura.

Fabiane Fischer Gomes Oliveira, secretária municipal de Desenvolvimento e Assistência Social, também lamentou a atitude dos moradores do Lar das Ruas. “Sinto pela crueldade com o animal. Sinto por estes cidadãos, por não terem desenvolvido sensibilidade e amor à vida em todas as suas formas”, enfatizou.

Leia também:

Informar Erro

- Continue depois da Publicidade -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir