“À Madalena, gratidão”: PIRANOT emite nota de pesar

Piracicaba perdeu nesta quarta-feira (07) um de seus símbolos. Uma de suas estrelas

O PIRANOT e eu (Júnior Cardoso) lamentamos a morte da ex-vereadora Madalena. Tive a honra de conhecê-la quando fiz estágio de assessoria de imprensa para um vereador. O gabinete dele fazia parede com o dela.

Foto: Câmara de Vereadores de Piracicaba

Pelos corredores da Câmara, Madalena sempre foi extremamente simpática, querida e amável. Seu gabinete nunca teve “porta”, já que sempre esteve à disposição de todos.

Madalena, mesmo quando vereadora, não perdeu sua essência. Manteve a humildade e o contato com os mais pobres. Ia trabalhar na Câmara de ônibus e do Terminal Central de Integração até o Poder Legislativo, na Rua Alferes José Caetano, seguia andando, dentro do possível, já que a cada passo ela era parada e isso nunca a incomodou. “Passa lá no gabinete tomar um café”, dizia ela a todos que a abordavam.

Madalena foi símbolo da luta LGBT na cidade, não por ter se assumido quem era aos 12 anos, mas por representar a classe na Câmara, mostrando ser possível sim uma travesti ser vereadora neste país.

À Madalena, gratidão. Gratidão pelo serviço prestado, pelas lutas que encarou e pelas risadas que ela nos proporcionava com seu jeito tão alegre, feliz e espontâneo.

Piracicaba perdeu um de seus símbolos. Uma de suas estrelas. O PIRANOT e o povo piracicabano lutarão por Justiça.

JUNIOR CARDOSO, diretor do PIRANOT, 07 de abril de 2021.

Informar Erro
Leia também