Connect with us

Notícias

Páscoa: veja quais perigos o consumo de chocolate pode trazer para os pets

Fernanda Maestro

Published

on

Uma das datas mais esperadas e saborosas do ano está chegando, a Páscoa! Tendo como ingrediente principal o chocolate, item que agrada crianças e adultos, a data pode trazer sérios riscos para a saúde dos cães e gatos.

Foto: Divulgação

O ingrediente chama a atenção por ser saboroso, e por isso, muitos tutores têm dúvidas sobre os perigos e problemas que o chocolate pode trazer para os pets. Pensando nisso, a Médica Veterinária Priscila Brabec, respondeu as seis principais questões dos tutores em relação ao consumo de chocolate pelos pets. Confira:

1- Por que o item é proibido para os cães e gatos?

A substância chamada teobromina presente na composição do chocolate é tóxica para os cães e gatos. No organismo dos animais a metabolização e eliminação desse item é lenta, o que a torna perigosa.

2 – Qualquer tipo de chocolate é prejudicial para os pets?

Sim, pois todos contém teobromina em sua composição, o que ocorre é que existe uma variação de teor dessa substância que está presente em maior ou menor nível dependendo da pureza. Quanto mais escuro, puro e concentrado, maior a quantidade de teobromina. Os chocolates amargos, por exemplo, apresentam uma concentração mais elevada de teobromina.

3 – Quais os riscos o consumo de chocolate pode trazer?

A intoxicação é o maior problema causado pelo consumo de chocolate. Na Páscoa, como o estoque de chocolate nas casas costuma ser maior, esse risco aumenta, pois o pet pode ter acesso mais fácil ao item, seja por conta do consumo que foi encontrado no chão, ou até mesmo por um pedaço oferecido pelo tutor.

4 – Pequenas quantidades são permitidas?

Não é recomendado oferecer chocolate aos pets. Além disso, a intoxicação não acontece necessariamente no dia em que o animal consume o chocolate, pois a teobromina pode permanecer no organismo por até 6 dias. Por isso, o cão e o gato podem se intoxicar mesmo que consuma pequenas quantidades diárias.

5 – O porte do animal tem influência no risco?

O tamanho do cão também influência e aumenta os riscos, geralmente a intoxicação é mais comum em cães de pequeno porte. Isso ocorre devido ao baixo peso corporal, o que possibilita que uma pequena quantidade de chocolate cause problemas sérios.

Além disso, filhotes e animais jovens também costumam ser mais afetados, pois sua curiosidade natural faz com que a busca por alimentos diferentes seja maior. Por isso, criar uma rotina e estabelecer hábitos corretos para a alimentação dos cães e gatos é importante para evitar esse comportamento.

6 – Quais os sinais apresentados pelo cão em caso de intoxicação?

Os sinas clínicos podem se manifestar de formas diferentes e dependendo da quantidade ingerida em cada animal. Entre os sintomas mais comuns estão excitação, respiração ofegante, diarreia, náuseas, vômito e arritmias cardíacas. É importante ressaltar que caso o animal apresente qualquer alteração comportamental o ideal é que o tutor leve o pet ao veterinário imediatamente.

Jornalista formada pela Universidade Metodista de Piracicaba. Trabalhou em campanhas políticas e estagiou na Câmara de Vereadores de Piracicaba. Atualmente, integra a equipe dos jornais PIRANOT e PORJUCA.

error: Este conteúdo está protegido por direitos autorais.