Connect with us

Piracicaba

Em Piracicaba, moradores de bairros fazem protesto contra instalação de pedágio

Rafael Fioravanti

Published

on

Em Piracicaba (SP), moradores dos bairros rurais de Santa Olímpia e Santana fizeram um protesto, na tarde desta quarta-feira (15), contra a instalação de um pedágio no km 180 da Rodovia Hermínio Petrim (SP-308). O pedágio ficaria dentro do limítrofe da cidade e separaria ambos os bairros do restante do município.

Foto: Noemi Correr Stenico

O protesto dos moradores ocorreu na praça de Santana, defronte à igreja, e reuniu, de acordo com eles, cerca de 200 pessoas. Os manifestantes carregavam faixas e bradavam dizeres contra a instalação do pedágio.

Moradores dos bairros de Santa Olímpia e Santana disseram que não foram convocados para participar de audiência pública sobre a instalação da praça de cobrança e que o custo do pedágio irá pesar no orçamento das famílias, além de trazer insegurança e transtornos, pelo fato dos bairros se tornarem “rota de fuga” de motoristas, principalmente caminhões de grande porte.

O vereador Laercio Trevisan esteve presente no protesto. Na ocasião, ele disse que apresentou a Moção de Apelo 155/2019 ao governador do Estado, João Dória, para que o pedágio seja instalado após a rotatória de acesso aos bairros. Na propositura, Trevisan considerou que grande parte da população das comunidades tirolesas trabalha e estuda na área central de Piracicaba e que fazem esse trajeto diariamente.

Em agosto de 2019, o Jornal PIRANOT publicou que o prefeito Barjas Negri era totalmente contra o local de instalação da praça de pedágio. Para Barjas, o projeto original da Artesp previa que a praça de pedágio fosse construída neste mesmo local (antes da rotatória de entrada de Santana e Santa Olímpia), porém, durante uma audiência pública realizada pela agência, o prefeito propôs a mudança do local para depois da rotatória, sem comprometer ambos os bairros. “Acho estranho que a Artesp não tenha corrigido isso. No site da agência já está registrada a minha manifestação sobre a mudança do local original”, informou Barjas na ocasião da reportagem. O prefeito disse ainda que estava ao lado da comunidade trentino-tirolesa de Santana/Santa Olímpia e que não descartava a possibilidade de ir até São Paulo para dialogar novamente com os gestores da Artesp. “É preciso ter bom senso, porque um pedágio [dentro da cidade] vai prejudicar a vida dos moradores, comprometendo, ainda, o turismo e a economia daquela localidade”, disse o prefeito.

O PIRANOT entrou em contato com a Prefeitura, na manhã desta quinta-feira (16), para saber mais detalhes em relação a esse caso, porém não obteve resposta.

Foto: Noemi Correr Stenico

Foto: Noemi Correr Stenico

Foto: Noemi Correr Stenico

Rafael é formado em jornalismo (comunicação social) pela Universidade Mackenzie, em São Paulo. Possui experiência em redações e editoras literárias. Integra a equipe do Jornal PIRANOT desde dezembro de 2017.

2 Comments

2 Comments

  1. Avatar

    Mauro Luis Alves

    17 de janeiro de 2020 at 15:20

    Pedágio? Justamente para as duas localidades tirolesa. Onde estão os representantes do cidadão? Os membros dos bairros tem que ir até a Câmara dos Vereadores e também a Prefeitura e exigir que não haja a instalação de uma praça de pedágio. Onde estão os Deputados da região?

  2. Avatar

    Thiago

    17 de janeiro de 2020 at 21:20

    Prefeitura sem oposição, deputados estaduais com pouca força na ALESP. Triste!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Este conteúdo está protegido por direitos autorais.