Connect with us

Notícias

De janeiro a maio de 2020, o 10º BAEP já prendeu 206 pessoas em Piracicaba e região

Fernanda Maestro

Published

on

O 10º BAEP atende a região do Comando de Policiamento do Interior 9 (CPI-9) que contém cerca de 3.200.000 pessoas, aproximadamente a população do Uruguai. Com sede na Rua Maringá, 450, no Jardim São Francisco, o Batalhão foi inaugurado em dezembro de 2019 em Piracicaba.

De janeiro a maio de 2020, o 10º BAEP já prendeu 206 pessoas em Piracicaba e região

Foto: Divulgação/10º BAEP

Dentro do CPI-9 existem seis Batalhões de Polícia Militar do Interior (BPMI), sendo eles o 10º BPMI (Piracicaba), o 19º BPMI (Americana), o 24º BPMI (São João da Boa vista), o 36º BPMI (Limeira), o 37º BPMI (Rio Claro) e o 48º BPMI (Sumaré) e agora o 10° Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP) que apoia a todos eles.

Estão entre os crimes mais atendidos pelo BAEP, no dia-a-dia, os que envolvem violência como homicídios, latrocínios, roubos diversos, roubos de veículos, roubos a bancos e também furtos a banco, apreensão de armamentos, tráfico drogas, captura de procurados e combate ao crime organizado.

Nesse contexto de diversas missões que envolvem o Batalhão e da queda de indicadores criminais na região do CPI-9 (Piracicaba), o 10º BAEP de janeiro a maio de 2020 efetuou 6.700 buscas pessoais, fez 206 prisões, sendo que 135 pessoas foram presas em flagrante e 71 procurados pela justiça foram capturados. O 10º BAEP também tirou das ruas 35 armas de fogo ilegais e mais de 94 kg de drogas, abordou 1.200 veículos sob fundada suspeita.

Atuação do BAEP

A atuação do BAEP está prevista na diretriz nº PM3-010/02/14 e inclui ações como:

  • Reintegração de posse de grande envergadura;
  • Apoio as medidas de segurança por ocasião de visitas de chefes de Estado;
  • Acompanhamento de manifestações públicas de grande envergadura;
  • Operação de patrulhamento inteligente (OPI);
  • Operações de presença, do tipo saturação (eventos);
  • Operações especiais ou de grande envergadura realizadas conjuntamente ou em apoio as autoridades do Poder Judiciário ou Ministério Público (GAECO, etc);
  • Escolta armada de alta periculosidade;
  • Controle de rebeliões em estabelecimentos prisionais;
  • Cumprimento de mandados de busca e apreensão;
  • Ações de controle de distúrbios civis;
  • Ações antiterrorismo;
  • Ações de policiamento com cães;
  • Patrulhamento tático;
  • Movimentação de presos e adolescentes infratores;
  • Apoio aos batalhões do CPI9.

Jornalista formada pela Universidade Metodista de Piracicaba. Trabalhou em campanhas políticas e estagiou na Câmara de Vereadores de Piracicaba. Atualmente, integra a equipe dos jornais PIRANOT e PORJUCA.