Mais pessoas contraíram Síndrome do Olho Seco nesta pandemia; conheça sintomas da doença

O problema surge quando a pessoa passa muitas horas do dia diante da tela do computador ou celular; isso deixa os olhos irritados e cansados

- PUBLICIDADE -

De acordo com o médico oftalmologista Prof. Dr. Renato Ambrósio Jr, o número de pessoas com a Síndrome do Olho Seco aumentou nesta pandemia de coronavírus, uma possível decorrência do isolamento social. O problema surge quando a pessoa passa muitas horas do dia diante da tela do computador ou celular, o que acaba deixando os olhos irritados, secos e cansados. “Normalmente nós piscamos de 15 a 20 vezes por minuto; no entanto, diante de um monitor ou do celular, as piscadas são menos frequentes, diminuindo, assim, a lubrificação natural”, explicou Ambrósio.

Outro fator que pode agravar a Síndrome do Olho Seco é a chegada de uma nova estação. A primavera traz irregularidade climática e baixa umidade, o que interfere diretamente no ressecamento da lágrima.

Para Ambrósio, a recomendação é que todo paciente seja avaliado por um profissional para a melhor orientação. Contudo, é possível amenizar a irritação e secura dos olhos, por meio de lágrima artificial. “A lubrificação dá um benefício do ponto de vista de qualidade de visão e também de vida”, diz.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O oftalmologista diz ainda que o paciente deve evitar coçar os olhos, visto que a fricção frequente pode causar danos à córnea.

Informar Erro

- Continue depois do anúncio -

Leia também

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir