Governo de SP ativa três novos hospitais de campanha, além de mais 163 leitos em unidade já existente

O Governo de São Paulo ativou três novos hospitais de campanha nas estruturas internas dos prédios dos AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) de Andradina, Botucatu e Itapeva, que a partir de hoje (31) passam a receber casos graves de COVID-19. A medida foi definida para enfrentamento da segunda onda da pandemia e o aumento de internações verificado em todo o Estado.

Foto: Fotoarena/Folhapress

No total, os serviços contarão com 31 leitos de UTI e 32 de enfermaria, que serão ativados gradativamente. Destes leitos, serão 10 de UTI e 10 enfermaria no AME Andradina; 11 de UTI e 16 enfermaria no AME Botucatu; e 10 UTI e 6 enfermaria no AME Itapeva.

Nos locais, poderão ser atendidos caos graves de COVID-19 encaminhados por meio da Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde (CROSS). Mais de 270 profissionais foram contratados para atuar nos serviços, entre médicos e profissionais de Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia, Psicologia, setores administrativos e de apoio.

“A ativação destes hospitais de campanha é parte do nosso esforço para combater o recrudescimento da pandemia, garantindo estruturas e equipes qualificadas, com mais leitos regionais para pacientes graves”, afirma o Secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.
Mesmo com as expansões de leitos, é importante que a população respeite o Plano São Paulo, use máscaras, faça distanciamento social, realize a higienização de mãos e dos ambientes e fique em casa, neste momento. Essa conduta é crucial para evitar o aumento de casos, internações e mortes.

Neste mês, também entrou em funcionamento o primeiro hospital de campanha anunciado ao pelo Governo de SP: o da Zona Norte, que possui 50 leitos, incluindo 20 de UTI. Na última quinta-feira (25), também começou a operar o serviço instalado no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de Campinas, que prevê 25 leitos de UTI e cinco de enfermaria.

Estão em andamento as medidas para implementação dos demais hospitais de campanha, com aberturas previstas para o decorrer do mês de abril, devido à necessidade de abastecimento de gases medicinais, como oxigênio.

Mais leitos

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira a instalação de 163 novos leitos no complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP) para atendimentos de casos de COVID-19. Serão mais 58 vagas de UTI e 75 de enfermaria no Instituto Central (ICHC) e mais 10 de UTI e 20 de enfermaria no Hospital Auxiliar de Suzano (HAS), em parceria com a Prefeitura Municipal de Suzano.

“O Hospital das Clínicas, o maior centro médico da America Latina, abre 163 novos leitos para o atendimento ao Covid-19 em parceria com a iniciativa privada. Quero agradecer aos profissionais de saúde, aos prestadores de serviço do Hospital das Clínicas, um exemplo de atendimento e de superação para salvarem vidas”, disse Doria.

Com esse incremento, o HCFMSUP passará a contar com 628 leitos exclusivos para atendimento de casos graves de COVID-19, sendo 268 de UTI e 360 de enfermaria. Para isso, contará ainda com a doação de R$ 5,4 milhões das empresas BTG Pactual, Eurofarma, Cosan e Instituto EDP para a contratação de profissionais da saúde.

Além disso, nos últimos dias, o HCFMUSP tomou medidas emergenciais visando garantir o atendimento dos casos que chegam via Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (CROSS) e Central de Regulação de Urgências e Emergências (CRUE) e que aumentaram exponencialmente. Para isso, tem realizado remanejamentos na destinação de leitos em todo o complexo, de acordo com a disponibilidade e com a capacidade de recursos humanos.

“Eu gostaria de fazer um pedido em nome dos nossos 24 mil funcionários que continuam trabalhando com brilho nos olhos desde o início, distanciamento social, máscara, álcool gel e fique em casa, porque apenas desta maneira vamos conseguir evitar o contágio e vencer esse inimigo”, falou Antônio José Rodrigues Pereira, superintendente do HCFMUSP.

Em março de 2020, o HCFMUSP já havia realizado uma megaoperação liberando todos os leitos do Instituto Central para atendimento COVID-19 e tornando-se, portanto, referência em atendimento para os casos graves da doença em São Paulo. Essa iniciativa permitiu que a rede pública de saúde estadual ganhasse tempo para se estruturar e ampliar a quantidade de vagas pelo SUS.

Mais profissionais da saúde

Para a operação dos novos leitos, o HCFMUSP também está reforçando seus recursos humanos em parceria com as empresas BTG Pactual, Eurofarma, Cosan e Instituto EDP, que realizaram um aporte de R$ 5,4 milhões para recrutamento de profissionais da saúde. Serão 386 fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos de enfermagem contratados para atuar nos leitos de UTI e de enfermaria voltados aos casos COVID-19. Com esse recurso, também será possível custear 790 plantões médicos de 12 horas.

Informar Erro
Leia também