Candidato a vereador é baleado ao vivo em transmissão pela internet

Ricardo de Moura, de 40 anos, levou dois tiros

- PUBLICIDADE -

 Um candidato a vereador foi baleado no momento em que fazia uma transmissão ao vivo pela internet, no início da manhã desta segunda-feira (09), em Guarulhos (Grande SP). Ricardo de Moura (PL), de 40 anos, permanecia internado até a publicação desta reportagem. O estado de saúde do candidato era “estável e consciente”, segundo a Secretaria Estadual da Saúde.

Uma foto do vereador Ricardo de Moura que foi baleado ao vivo
Foto: Reprodução/Facebook

Moura fazia a Live enquanto aguardava a candidata à prefeitura Adriana Afonso (PL). Ambos fariam campanha na região do bairro Taboão, juntamente com o candidato a vice-prefeito coronel Flammarion Ruiz, que também é presidente do diretório guarulhense do PL.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Antes da chegada dos correligionários, um homem de capuz, ainda não identificado, atirou contra Moura e fugiu correndo para dentro de uma favela da região, afirmou Ruiz ao Agora. Nenhum objeto foi levado pelo criminoso. A vítima foi ferida no ombro direito e em uma das pernas, sendo encaminhada em seguida ao HGG (Hospital Geral de Guarulhos), onde permanecia internado, com seguranças.

Segundo a transmissão feita pelo candidato, sua fala é interrompida quando ele afirma “vamos fazer a diferença para Guarulhos”. Após isso, a vítima caí no chão, da mesma forma que o celular. Segundos depois é possível ouvir um segundo disparo e um grito de dor, provavelmente do candidato após ser ferido.

“O crime aconteceu pouquíssimos minutos antes de a gente chegar ao local”, disse Ruiz, se referindo à praça 8 de Dezembro, na região do bairro Taboão. A candidata ao Executivo de Guarulhos ficou abalada e a campanha acabou parcialmente suspensa nesta segunda. “A distribuição de santinhos foi mantida, mas deixamos de fazer o que estava programado [para o período da manhã e início da tarde], “acrescentou o coronel Ruiz.

Ele acredita que o “perfil combativo” de Moura pode ter contribuído para o crime, por hora ainda com motivação incerta. “Não podemos descartar nenhuma hipótese. Mas pode ter sido um atentado, já que não levaram nenhum objeto dele”.

O Setor de Homicídios e de Proteção à Pessoa da Polícia Civil cidade foi acionado para as investigações. A polícia afirmou descartar “por enquanto” a motivação política para o crime, registrado como tentativa de homicídio.

“Foi solicitada perícia e o caso foi registrado pelo 9º DP de Guarulhos. Diligências estão em andamento para localizar os autores”, diz trecho de nota da SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB).

Informar Erro

- Continue depois do anúncio -

Leia também

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir