Felipe Gonçalves entrevista o ator Fabio Audi, do curta “Eu Não Quero Voltar Sozinho”

Fabio Audi, Itapira (SP), cujo prefere não revelar a idade, é ator formado pela escola “Célia Helena” e graduado em cinema, pela FAAP, em São Paulo. Prestes a estrear nos cinemas com o filme “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, baseado no curta metragem “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, lançado em 2010, com direção de Daniel Ribeiro, o ator concedeu uma entrevista ao entrevistador do site, Felipe Gonçalves.

O filme, que estreará nos cinemas no próximo dia 10 de abril, conta a história de Leonardo (Ghilherme Lobo), um adolescente deficiente visual que muda de vida totalmente com a chegada de Gabriel (Fabio Audi), um novo aluno em sua escola. Ao mesmo tempo que tem que lidar com os ciúmes da amiga Giovana (Tess Amorim), Leonardo vive a inocência da descoberta de uma paixão por Gabriel (Fabio Audi).

Fabio Audi interpreta o jovem Gabriel
Fabio Audi interpreta o jovem Gabriel

Confira a entrevista na íntegra:

Felipe Gonçalves: Fabio, você ficou conhecido após o sucesso do curta-metragem “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, onde atuou com Gabriel. Em quais aspectos mudou a sua rotina de lá pra cá?

Fabio: Minha rotina só se intensificou dentro do processo de me tornar um artista consciente e maduro.

Felipe Gonçalves: Quando você se deu conta do sucesso e do reconhecimento do público?

Fabio: Na primeira exibição do filme no festival de Paulínia… Saímos de lá com praticamente todos os prêmios! Logo em seguida o filme ficou disponível no youtube. Foi aí que surgiu o público do filme.

Felipe Gonçalves: Você é formado em cinema e além de produções audiovisuais, já participou de produções da ECA USP (Escola de Comunicação e Artes). Quando decidiu ingressar na carreira artística?

Fabio: Desde os 6 anos estudo música, sempre fui o extrovertido da escola, gostava de desenhar, tocava piano, fazia “obras de arte” espontaneamente para os outros…

Fabio Audi durante coletiva de Imprensa, em Berlim
Fabio Audi durante coletiva de Imprensa, em Berlim

Felipe Gonçalves: Você é o único artista da família?

Fabio: Tenho um primo artista plástico, um avô que pinta e uma avó que teve tudo para ser cantora…

Felipe Gonçalves: Se você não fosse ator e nem cineasta. Que carreira seguiria?

Fabio: Acho que se não fosse artista… Seria filósofo (ainda flerto muito com a área acadêmica).

Seria um professor na área de filosofia, psicologia, história ou pedagogia.

Felipe Gonçalves: A aceitação do curta pelo público foi praticamente unânime, que resultou na produção do filme “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, baseado na mesma temática. Como foi a sua rotina de gravação?

Fabio: A rotina era pesada! Depois de muitos ensaios e discussões acerca do roteiro, começamos a gravar em uma rotina que começava ás 4:30 da manhã e acabava ás 19:00. De qualquer forma, foi muito gostoso tudo aquilo… Aos poucos você vai conhecendo toda a equipe (acho que éramos em 80 pessoas) e vai formando uma família…

Fabio Audio, Ghilherme Lobo e Tess Amorim
Fabio Audio, Ghilherme Lobo e Tess Amorim

Felipe Gonçalves: Em dezembro de 2012 foi anunciada a iniciação da produção do filme, somente após dois anos de captação de recursos e elaboração de roteiro. Você acredita que a burocracia de captação de recursos financeiros para o cinema brasileiro ainda é lento ou é o tempo necessário para o processo das produções?

Fabio: O Brasil precisa construir logo sua industria cinematográfica… O incentivo do Governo é excelente, demorado e no entanto, não é o suficiente. Precisamos ficar independentes logo e seguir modelos mais livremente articulados.

Felipe Gonçalves: Recentemente, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” foi exibido no Festival de Cinema de Berlim e ficou em segundo lugar na escolha do público. Como você

Fabio Audi durante premiação no Festival de Berlim
Fabio Audi durante premiação no Festival de Berlim

explica o sucesso do filme, não somente no Brasil, como no exterior também?

Fabio: O filme tem uma linguagem sensível e universal. A metáfora funciona em qualquer canto e mostra que a urgência do amor simples é igual em qualquer espaço e tempo.

Felipe Gonçalves: O filme chega  no cinema em abril. Qual é a sua expectativa para a estréia?

Fabio: Não vejo a hora de poder assistir o filme aqui no Brasil, poder sentir a energia e a resposta das pessoas… Acho que vai ser muito gostoso!

Felipe Gonçalves:  O que o público pode esperar de diferente do Gabriel, que não teve no curta?

Fabio: Acho que o Gabriel ganha mais complexidade de modo geral… No longa o Gabriel é claramente os olhos de Leonardo, trazendo a ele um novo mundo de experiências que  são tão comuns aos meninos do interior; olhar as estrelas do céu, andar de bicicleta… Tudo isso atrelado a uma insegurança e timidez que fazem com que o personagem fique mais apaixonante. na minha opinião.

Felipe Gonçalves: Quais são seus projetos, após a estréia do filme?

Fabio: Pretendo continuar meu processo como artista. Vou continuar estudando muito e quem sabe em breve não surge outro projeto tão especial como foi o “Hoje eu quero voltar sozinho”.

Entrevista concedida por Fabio Audi ao entrevistador Felipe Gonçalves.

O filme deve estrear nos cinemas dia 10 de abril, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Assista o trailer do filme:

Facebook | Twitter | Instagram

 

Felipe Gonçalves, ator, entrevistador foto perfil 2014Felipe Gonçalves, 18, estudante de jornalismo na Universidade Metodista de Piracicaba,  também é ator e estuda teatro na cia Tempero d’alma de Artes Cênicas. Já foi repórter e participou do clipe “Shaking” com a cantora Kelly Key. Além de teatro e participações na TV, Felipe escreve sobre entretenimento e realiza entrevistas com artistas e personalidades da mídia.

Informar Erro
Leia também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Prosseguir Mais detalhes