Connect with us

Big Brother Brasil

Ex-BBB20 Felipe Prior é acusado de estupro e tentativa de estupro por três mulheres; veja detalhes

Fernanda Maestro

Published

on

De acordo com reportagem publicada pelo site da revista Marie Claire, Felipe Prior estaria sendo acusado de tentativa de estupro e estupro por três diferentes mulheres. Em notícia crime, a defesa das moças narra com detalhes os supostos crimes cometidos pelo ex-BBB20.

Justiça nega trancar inquérito que apura acusação de estupro contra Felipe Prior

Foto: Reprodução/TV Globo

De acordo com o documento, ao qual a Marie Claire teve acesso com exclusividade, Felipe Prior teria cometido o primeiro suposto estupro na madrugada de 9 de agosto de 2014. A vítima, protegida pelo pseudônimo de Themis, descreve que o arquiteto se aproveitou de sua embriaguez para praticar o suposto crime, provocando lesões corporais.

Primeiro caso

Themis narra que Felipe Prior teria tentado tirar sua roupa e aberto a própria calça, deixando sua genital para fora. Como ela estava embriagada, disse que não conseguiu resistir fisicamente, mas teria dito diversas vezes que não queria ter relações sexuais.

De acordo com o documento obtido com exclusividade pela Marie Claire, Themis narra que Felipe Prior teria  reagido aos gritos dizendo “para de ser fresca, no fundo você quer, não é hora de se fazer de difícil” e, diante das negativas de Themis, insistido: “quer sim”. Neste momento, Felipe teria, supostamente, estuprado a jovem em seu carro e só parou quando a machucou.

Após o suposto estupro, Themis relatou a mãe que estava com um ferimento em suas partes íntimas e que sentia dor. “A mãe pediu à filha que se deitasse e olhou, e notou um corte de cerca de três dedos de comprimento na região genital da filha, profundo o suficiente para chegar até o músculo. A filha da declarante relatava muita dor e o sangramento estava muito intenso”, relata o documento.

“A mãe precisou vestir a filha, pois a mesma estava sem condições físicas e emocionais de fazê-lo. Para conter o sangramento, que estava muito intenso, a declarante colocou uma fralda na filha. (…) Quando a filha da declarante foi chamada para ser atendida, chamou a atenção da declarante a reação da médica ao examinar Themis”, relata o documento que acusa Felipe Prior de, suposto, estupro.

Segundo caso

A advogada descreve o suposto caso como crime de tentativa de estupro, praticado em setembro de 2016, durante os jogos universitários Interfau, contra a vítima Freya (também pseudônimo). Ela descreve que Felipe Prior teria tentando conter a vítima fisicamente por meio do uso da força, mas não conseguiu e a vítima escapou.

Terceiro caso

O terceiro relato é de crime de estupro, supostamente, praticado durante os jogos Interfau em setembro de 2018, tendo como vítima a testemunha protegida sob o pseudônimo Ísis. A jovem descreve que Felipe Prior teria tentando se aproveitar de sua embriaguez para ter relações sexuais, com uso de violência física, mesmo diante do choro e gritos da vítima.

De acordo com o relato de Ísis, protocolado no documento que acusar Felipe Prior de estupro, a jovem só conseguiu deixar o local no dia seguinte e testemunhas ouviram seus gritos pedindo pra que ele parasse.

Porque tão tarde

As três mulheres que acusam Felipe Prior não fizeram boletim de ocorrência antes porque dizem que se sentiram envergonhadas. Segundo a advogada das moças, Maíra Pinheiro, uma universitária viu a chamada do BBB20 com o arquiteto e fez um post no Twitter em que afirma que o conhecia e que ele havia sido impedido de entrar no InterFau 2019 jogos esportivos entre faculdades de arquitetura de São Paulo) após uma denúncia de assédio.

A partir desta publicação, duas das mulheres que o acusam, sem que se conhecessem, procuraram a autora do tuíte, que as colocou em contato. A partir daí, as jovens procuraram as advogadas Juliana Valente e Maíra Pinheiro, que ao apurarem a denúncia do InterFau, chegaram até a terceira mulher.

Inquérito policial

O Ministério Público de São Paulo solicitou na última sexta (3) a instauração de um inquérito policial com a finalidade de apurar as três denúncias contras Felipe Prior, ex-participante do BBB20, por dois estupros e uma tentativa de estupro. O caso está sob sigilo e o arquiteto nega as acusações.

No dia 17 de março, a advogada das três mulheres que acusam Felipe Prior de tentativa e estupro, Maíra Pinheiro, protocolou uma notícia crime sobre os três casos no Departamento de Inquéritos do Fórum Central Criminal.

Defesa de Felipe Prior

Felipe Prior nega acusações através de nota assinada por seus advogados, Carolina Tieppo Pugliese Ribeiro, Rafael Tieppo Pugliese Ribeiro e Celly F. de Mesquita Prior. “Felipe Prior nega todas as falsas acusações disseminadas contra ele e reafirma sua inocência. Felipe Prior jamais cometeu qualquer ato de violência sexual. A equipe jurídica de Felipe Prior está empenhada e tomará todas as medidas cabíveis para refutar todas as acusações. Reiteramos: o crime que existe é cometido por anônimos que o acusam e por aqueles que difundem essas acusações, causando prejuízos à sua integridade e à sua imagem.”

O ex-BBB20 se manifestou em sua rede social diante das supostas tentativas de estupro e tentativa de estupro e negou as acusações.

Nota da InterFau

Nota oficial do InterFau

Nota oficial do InterFau Foto: Reprodução)

Jornalista formada pela Universidade Metodista de Piracicaba. Trabalhou em campanhas políticas e estagiou na Câmara de Vereadores de Piracicaba. Atualmente, integra a equipe dos jornais PIRANOT e PORJUCA.