Enxaqueca: sintomas, causas, fases da doença e tratamento

A enxaqueca atinge tanto homens quanto mulheres, mas é mais frequente entre o gênero feminino, especialmente dos 25 aos 45 anos de idade

- PUBLICIDADE -

Uma simples dor de cabeça pode evoluir para um quadro mais grave e causar bastante incômodo: a enxaqueca.

uma foto de uma pessoa com dor de cabeça enxaqueca
Foto: Reprodução

Dados do Ministério da Saúde indicam que esse quadro afeta mais mulheres do que homens. No gênero feminino, o percentual gira entre 5% e 25%, enquanto no masculino os índices variam entre 2% e 10% da população.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Sintomas

A doença é caracterizada por uma dor pulsante em um dos lados, às vezes dos dois, da cabeça, e acompanhada de enjoo, vômito e dores diante de luzes e sons (fotofobia e fonofobia).

É considerada uma crise de enxaqueca quando os sintomas variam de 4 a 72 horas, podendo ser um período mais curto se apresentado em crianças.

  • Crise de dor de cabeça latejante e intensa de 4 a 72 horas;
  • Náusea e Vômitos;
  • Bocejos constantes;
  • Irritabilidade;
  • Sensibilidade à luz;
  • Sensibilidade ao som;
  • Sensibilidade ao movimento do corpo ou do ambiente;
  • Tontura;
  • Fadiga;
  • Mudanças de apetite;
  • Problemas de concentração, dificuldade para encontrar as palavras.
uma foto de uma pessoa com dor de cabeça
Foto: Reprodução

Causas da enxaqueca

As causas exatas da doença são desconhecidas, embora se saiba que ela está relacionada com alterações do cérebro e possui influência genética.

O gatilho para as crises de enxaqueca variam de indivíduo para indivíduo, sendo que em alguns não há presença de nenhuma causa específica. Entretanto, os gatilhos mais comuns são:

  • Estresse;
  • Jejum intermitente;
  • Dormir mais ou menos horas do que o de costume;
  • Mudanças bruscas de temperatura e umidade;
  • Perfumes e outros odores muito fortes;
  • Esforço físico excessivo;
  • Luzes e sons intensos;
  • Abuso de medicamentos, incluindo analgésicos;
  • Fatores hormonais (mulheres nas fases pré, durante e pós-menstruação, gerando a chamada de “enxaqueca menstrual”);
  • Consumo de certos alimentos e bebidas (queijos amarelos, frutas cítricas, carnes processadas, frituras e gorduras, chocolates, café, chás, refrigerantes, excesso de álcool).
uma foto de uma pessoa com dor de cabeça enxaqueca
Foto: Reprodução

Fases da doença

1ª fase da enxaqueca: Premonitória

Apresenta sintomas como fadiga, irritabilidade, depressão, bocejo constante e dificuldade de concentração por cerca de 72 horas (três dias) antes da dor de cabeça latejante.

2ª fase: Aura

A segunda fase é definida pela presença de aura: manifestações neurológicas que ocorrem normalmente antes da dor de cabeça e duram de 5 a 60 minutos. A aura visual é a mais frequente, que faz com que a visão apresente pontos cegos, pontos pretos, cintilações ou flashes de luz.

3ª fase: Dor de cabeça

Essa fase é a que mais simboliza a enxaqueca e também a que mais incomoda quem sofre com a doença. É marcada pela dor de cabeça latejante e intensa, podendo durar de 4 a 72 horas. Costuma ser acompanha de náusea, vômito e sensibilidade a luz, sons e cheiros.

4ª fase: Resolução

Na última fase do ciclo da enxaqueca o paciente apresenta sintomas semelhantes à primeira  fase enquanto trata ou mesmo após curar. São frequentes as queixas de fadiga, sonolência e dor de cabeça leve durante até 48 horas (dois dias).

Enxaqueca crônica

A enxaqueca crônica é a dor de cabeça intensa e latejante por 15 dias ou mais durante o mês. Assim, é denominada crônica devido à sua alta frequência, podendo ser com aura ou sem aura.

O tratamento para enxaqueca crônica é mais complexo, pois se observa um alto consumo de analgésicos por pacientes que sofrem dessa intensidade da doença – e o abuso de medicamentos pode até mesmo agravar os sintomas.

uma foto de uma pessoa no médico
Foto: Reprodução

Diagnóstico

O diagnóstico da enxaqueca é bastante clínico. Ao procurar um neurologista (especialista na doença) ou um clínico geral, ele pode te fazer as seguintes:

  • Você sente dor em qual lado da cabeça?
  • Quais os sintomas relacionados à dor?
  • Qual a duração desses sintomas?
  • Eles acontecem em ambos os lados do corpo?
  • Se são sintomas visuais, como são e em que momento os apresenta?
  • Algum desses sintomas aparece antes de a dor começar?
  • Você tomou algum medicamento para as dores?
  • Você faz uso de algum medicamento com frequência?

É normal que o médico queira ter certeza de que não existem outras causas por trás da sua enxaqueca. Assim, é possível que ele faça exames físico e neurológicos. Além disto, ele também pode perguntar sobre seu histórico familiar, incluindo questões como:

  • Outros membros da família têm enxaqueca ou outros tipos de dores de cabeça?
  • Você usa medicamentos como pílulas anticoncepcionais ou vasodilatadores?
  • Sua dor de cabeça começa depois que você faz muito esforço, ou após tossir ou espirrar?

O diagnóstico da enxaqueca é feito clinicamente, seguindo os critérios baseados nas diretrizes da Headache International Society. Para ser diagnosticada a enxaqueca, o paciente precisa apresentar pelo menos cinco crises com essas características:

  • Crise de cefaleia durando de quatro a 72 horas (tratamento fracassado ou não realizado);
  • Cefaleia tendo pelo menos duas das seguintes características: unilateral, pulsátil, dor de intensidade moderada a intensa, dor agravada ou impedindo atividade física rotineira (caminhada, subir escadas, etc.);
  • Durante a cefaleia, ocorrência de pelo menos um destes sintomas: náusea e vômitos, fotofobia e “fonofobia”;
  • Nenhum outro diagnóstico que explique a cefaleia.
uma foto de remédios
Foto: Reprodução

Tratamentos para a enxaqueca

O tratamento da enxaqueca é feito através de medicamentos, via oral ou via intravenosa. Porém, antes de iniciar qualquer procedimento, é necessário saber se o diagnóstico está correto e qual fator tem desencadeado a enxaqueca.

Os medicamentos para prevenção da enxaqueca incluem neuromoduladores, betabloqueadores, antidepressivos, antivertiginosos. A indicação, no entanto, dependerá de cada caso.

As drogas mais utilizadas para tratar a enxaqueca são:

Lembrando que somente um médico pode dizer qual o medicamento indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique.

Veja também:

Informar Erro

- Continue depois do anúncio -

Via Ministério da Saúde Minha Vida
Leia também

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir