Sinusite: sintomas, causas e tratamentos para a doença

Há dois tipos da sinusite: a sinusite aguda (CID 10 – J01) e a sinusite crônica (CID 10 – J32). Veja a diferença entre elas, as causas e os tratamentos

- PUBLICIDADE -

A sinusite é uma doença que afeta milhares de pessoas no Brasil e no mundo. Trata-se de um processo inflamatório da mucosa dos seios do rosto, a área do crânio composta pelas cavidades ósseas em torno do nariz e dos olhos. Essa enfermidade pode ter a ver com uma infecção, um problema alérgico ou qualquer elemento que dificulta a drenagem de secreção dos seios da face.

Uma foto mostrando a região do rosto afetada pela sinusite
Foto: Reprodução

Vale salientar que a nomenclatura mais usada para esse quadro é rinossinusite, uma vez que a inflamação afeta a mucosa das maçãs do rosto e também a mucosa do nariz. E, caso você não saiba, há dois tipos da sinusite: a sinusite aguda (CID 10 – J01) e a sinusite crônica (CID 10 – J32).

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Tipos de sinusite

A sinusite aguda se sucede quando os sinais estão presentes por um espaço de tempo que não chega a 90 dias. Já a sinusite crônica se manifesta quando o inchaço e a inflamação dos seios nasais ocorrem por mais de três meses.

Sendo assim, a sinusite pode ser provocada tanto por agentes infecciosos, como as bactérias, os fungos e vírus; quanto por problemas decorrentes de alergia. Ou seja, a poeira, a mudança drástica de clima e cheiros fortes fazem parte dessa lista de fatores alérgicos.

Além disso, a exposição a certos compostos químicos e as mudanças na anatomia nasal ou facial estão em outro grupo de causas da sinusite. Além disso, há uma possibilidade muito incomum que gera a sinusite, um tumor.

Fatores mais comuns da sinusite crônica

Pólipos nasais

Aumento do tecido na região que pode atrapalhar as passagens nasais.

Alergia

A sinusite pode ser desencadeada em função da exposição da pessoa a elementos levados no ar, como poeira, sujeira, poluição, mofo, pelos de animais, fumaça, pólen, entre outros. Compostos químicos, como tinta, produtos de limpeza, entre outros, também agravam a situação.

Doenças alérgicas

A rinite e a asma facilitam para o aparecimento de um quadro de sinusite.

Desvio do septo

Quando a divisão entre as narinas não está posicionada adequadamente, pode ocorrer um impedimento nas passagens do seio nasal.

Choque no rosto

Um choque no rosto, como um acidente, pode gerar um osso fraturado ou quebrado com  a interrupção das vias do nariz.

Problemas que abaixam a imunidade

Complicações de fibrose cística, refluxo gastroesofágico, AIDS e outras enfermidades vinculadas com o sistema imunológico podem resultar na obstrução nasal.

Infecções respiratórias

Resfriados, gripes e outras doenças respiratórias podem engrossar as membranas, impedindo a drenagem do muco e dando possibilidade para o surgimento de agentes nocivos. Esses problemas tendem a ser de ordem virais, bacterianas ou por fungos.

Células

Em determinadas ocasiões, as células do sistema de imunidade, nomeadas de eosinófilos, pode resultar em uma inflamação dos seios do rosto.

Mudanças de altitude, como mergulhar ou estar em um voo e o consumo de cigarro.

Sintomas de Sinusite

Os sinais da sinusite crônica se diferem da sinusite aguda. Isso acontece porque a situação crônica apresenta a tosse como um dos sintomas habituais e a febre praticamente não ocorre. Isso porque a sinusite aguda se trata de uma infecção temporária dos seios e muito ligada a um quadro gripal.

Já a sinusite crônica equivale a uma infecção com tendência de durar um pouco mais, chegando a passar de três meses. Sendo assim, essa versão da doença pode ser caracterizada como rinossinusite crônica com polipose e rinossinusite crônica sem polipose. Para o diagnóstico de rinossinusite crônica devemos ter dois ou mais dos seguintes sinais:

Sinais da sinusite crônica

Para saber se realmente se trata de uma sinusite crônica, é preciso observar a existência de alguns desses sintomas:

  • Pressão ou dor facial;
  • Diminuição ou desaparecimento do olfato;
  • Vinculado a mudanças tomográficas ou evidenciadas por exame de videonasofibroscopia;
  • Com duração maior que 12 semanas;
  • Dor de ouvido;
  • Dores no maxilar superior e dentes;
  • Tosse, que pode ser pior durante a noite;
  • Garganta inflamada;
  • Mau hálito (halitose);
  • Fadiga ou irritabilidade;
  • Náusea.

Como diferenciar os sinais de uma sinusite de uma rinite?

Há muitos pacientes que afirmam ter sinusite e a rinite. Mesmo que haja algumas distinções entre as duas enfermidades, a rinite pode ajudar no surgimento de uma sinusite. Por isso, a maioria das pessoas confunde os dois problemas de saúde.

Basicamente, a rinite afeta unicamente o nariz, enquanto a sinusite se propagada pelos seios do rosto pegando a região dos olhos, o centro da testa. Além disso, os principais indicadores de uma rinite são: coriza, coceira no nariz, nariz congestionado, espirros, enquanto a situação resulta em coriza, nariz entupido, tosse e dores de cabeça.

Acompanhamento médico

O fato é que os sintomas da sinusite podem se apresentar de maneira moderada, mediana e grave. De qualquer forma, a busca por um médico de confiança é indispensável para que a doença, bem como as suas causas possam ser descobertas da melhor forma possível e o quanto antes.

Informar Erro

- Continue depois do anúncio -

Leia também

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir