Hipertensão: sintomas e tratamentos da pressão alta

Até os dias de hoje, os especialistas e pesquisadores ainda não foram capazes de encontrar uma cura definitiva para a hipertensão

- Continue depois da publicidade -

A hipertensão, também chamada de pressão alta, é um problema de saúde crônico e que é classificado devido às taxas altas de pressão sanguínea nas artérias. Essa doença se sucede quando os valores das pressões tanto máxima quanto mínima são semelhantes ou estão acima de 140/90 mmHg (ou 14 por 9).

Uma foto de um homem medindo a sua pressão para prevenir a hipertensão
Foto: Divulgação

Por isso, a pressão alta acaba por fazer com que o coração precise se esforçar muito mais do que o normal para ser possível que o sangue chegue adequadamente a todo o corpo. Sendo assim, a hipertensão é uma das principais causas de acidente vascular cerebral, enfarte, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca.

Além disso, essa doença ocorre devido ao histórico familiar em 90% das situações. Todavia, há diversas razões que impactam nas taxas de pressão arterial, como os hábitos de vida do indivíduo. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 388 pessoas morrem todos os dias no país devido a hipertensão.

Fatores que levam a hipertensão

Como citado anteriormente, a hipertensão é uma herança dos pais na grande maioria dos casos. No entanto, há diversos elementos que impactam na taxa de pressão arterial. Tais como o fumo, a ingestão de bebidas alcoólicas, o sobrepeso, a obesidade, o estresse, a ingestão alta de sal durante as refeições, colesterol descontrolado e a ausência da pratica esportiva.

Além desses fatores, já se sabe que a ocorrência da pressão alta também é superior na raça negra, nos diabéticos e cresce com o passar do tempo.

Sintomas comuns da hipertensão

Vale salientar que a hipertensão possui alguns sintomas muito habituais e podem ajudar o paciente a identificar o quadro e buscar por atendimento imediato o quanto antes. Os sinais da pressão alta tendem a surgir apenas quando a pressão está muito elevada.

Nessa situação de risco, o paciente pode sentir fortes dores no peito, dores na cabeça, zumbido no ouvido, moleza, visão turva, tonturas e sangramento no nariz.

Tratamento para a pressão alta

Até os dias de hoje, os especialistas e pesquisadores ainda não foram capazes de encontrar uma cura definitiva para a hipertensão. Em contrapartida, já existe tratamento que oportuniza que a doença possa ser controlada e o doente tenha uma vida praticamente normal. Todavia, o médico é a única pessoa capacitada a selecionar a melhor forma de tratamento para cada caso.

Sendo assim, o Sistema Único de Saúde (SUS) fornece de modo gratuito remédios nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e pelo programa Farmácia Popular. Para ter acesso a essa medicação, o paciente deve levar um documento recente com foto, CPF, receita médica com até quatro meses. Porém, essa receita tanto pode ser conseguida com um médico do SUS quanto com um médico que possui consultório particular.

Diagnóstico da hipertensão

De acordo com o Ministério da Saúde, a melhor maneira de diagnosticar a hipertensão é a atenção da averiguação regular da pressão. Sendo assim, as pessoas com mais de 20 anos de idade podem medir a pressão quando quiserem para ter essa base e avaliar algum tipo de oscilação. Quando há histórico de parentes com alta pressão, essa rotina de medição da pressão deve se tornar ainda mais frequente e precoce.

Prevenção

Em mulheres com hipertensão, a análise pré-concepcional oportuniza a eliminação de hipertensão arterial secundária, aferição dos níveis pressóricos, discussão dos riscos de pré-eclâmpsia e orientações sobre necessidade de alterações nos remédios ainda nos primeiros meses da gestão.

Já as mulheres com hipertensão dentro da meta e com monitoramento constante tendem a ter uma vida com boa qualidade. No entanto, as mulheres com descontrole da pressão no primeiro trimestre da gestação correm mais risco e precisam tomar cuidados adicionais durante esse período.

Tratamento para a hipertensão em mulheres grávidas

O tratamento para a hipertensão leve em uma mulher gestante precisa se concentrar em ação não medicamentosa, já nos casos moderados e acentuados se deve selecionar o tratamento habitual indicado para cada caso específico.

Independente da etiologia da hipertensão arterial na gestação, é de vital importância que o profissional de saúde em questão se mantenha atento ao controle da pressão e analise a chance de encaminhar ao atendimento de alto risco.

Formas de evitar a hipertensão no dia a dia

Além da medicação a disposição no mercado brasileiro nos dias de hoje, os especialistas indicam uma série de atividades para manter um estilo de vida saudável e fisicamente ativo. Confira algumas formas de evitar a pressão alta no seu cotidiano:

  • Procure estar dentro do peso apropriado para a sua altura e faixa etária;
  • Caso seja necessário, busque por ajuda especializada para alterar costumes alimentares;
  • Não use sal em excesso;
  • Não fume;
  • Não consuma bebidas alcoólicas em excesso;
  • Realize atividades físicas diariamente;
  • Tire alguns momentos para relaxar e se divertir;
  • Tente evitar o consumo de alimentos muito gordurosos;
  • Tenha uma alimentação saudável e variada;
  • Mantenha a diabetes e/ou colesterol sob controle.

Com essas alterações no seu dia a dia, a chance de sofrer com a hipertensão cai drasticamente. Por isso, foque sempre na manutenção da qualidade de vida!

Informar Erro

- Continue depois do anúncio -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir