Polícia Civil prende homem acusado de estuprar a própria filha desde os cinco anos

Polícia Civil prende homem acusado de estuprar a própria filha desde os cinco anos

Em Capivari, na Região Metropolitana de Piracicaba

A Polícia Civil de Capivari prendeu, nesta quarta-feira (18), em cumprimento a mandado de prisão temporária, por crime de estupro de vulnerável, um homem de 49 anos. A prisão foi realizada pela equipe de policiais civis de Capivari, comandados pela delegada titular, Maria Luísa Dalla Bernardina Rigolin.

Segunda a polícia, a vítima de 11 anos, que apresentava sinais de mutilação nos braços, é filha do criminoso e relatou os abusos para mãe.

Atendida pela psicóloga da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) em escuta especializada, a menina informou que sofria os abusos desde que ela tinha cinco anos de idade. Segundo a criança, a irmã também sofreu abusos do pai.

Conforme as investigações, o homem já responde outros processos pelo crime de violência sexual. Um deles contra a enteada, na época, chegando a praticar a conjunção carnal.

Diante dos graves fatos, a delegada titular Maria Luísa Dalla Bernardina Rigolin representou pelo mandado de prisão temporária do investigado, imediatamente deferido pela Justiça. O preso foi localizado na cidade de Monte Mor e foi conduzido para a Delegacia de Defesa da Mulher de Capivari.

18 de Maio: Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A ação, iniciada nas primeiras horas de quarta-feira (18), tem por objetivo intensificar as ações de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes no Estado. É uma operação que ocorre em todo Brasil, em alusão ao dia 18 de maio, quando se comemora o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

De acordo com a delegada, “A Campanha Nacional Maio Laranja” incentiva a realização de atividades para conscientizar, prevenir, orientar e combater o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

Araceli

O dia escolhido faz alusão ao caso da menina brasileira Araceli Cabrera Sánchez Crespo, assassinada em 18 de maio de 1973, aos 8 anos de idade, na cidade de Serra, no Espírito Santo. O corpo da criança foi encontrado somente seis dias após o crime, desfigurado por ácido e com marcas de violência e abuso sexual. Os acusados pelo crime foram absolvidos e o processo
arquivado pela Justiça, fato que instituiu o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também