GREVE EM PIRACICABA | Servidores municipais dão Abraço Simbólico em frente à Prefeitura

GREVE EM PIRACICABA | Servidores municipais dão Abraço Simbólico em frente à Prefeitura

Nesta terça-feira (05), a greve se iniciou às 07h em frente ao Centro Cívico. Pouco antes das 09h, os servidores municipais realizaram o Abraço Simbólico em defesa do funcionalismo público municipal. Veja abaixo fotos do momento:

Foto: Rildo Batista de Carvalho/Divulgação
Foto: Rildo Batista de Carvalho/Divulgação
Foto: Rildo Batista de Carvalho/Divulgação
Foto: Rildo Batista de Carvalho/Divulgação
Foto: Rildo Batista de Carvalho/Divulgação
Foto: Rildo Batista de Carvalho/Divulgação
Foto: Rildo Batista de Carvalho/Divulgação

Prefeitura insiste em parcelamento e sindicato recusa

Leia na íntegra a nota que o Sindicato dos Municipais enviou sobre a reunião de ontem:

Dando continuidade à greve dos servidores municipais de Piracicaba que se iniciou no dia 01 de abril, a diretoria do Sindicato dos Municipais, acompanhada pela comissão de greve, por autoridades municipais e deputados estiveram na secretaria de governo na manhã de ontem (04) tentando renegociar com a administração o pagamento destes reajustes inflacionários para serem pagos neste ano. No entanto, a reunião não obteve sucesso, pois a prefeitura mantém a proposta do parcelamento até 2024.

A greve dos servidores municipais de Piracicaba iniciou no dia 01 de abril com a presença de cerca de 5.000 funcionários da prefeitura, pedindo que o pagamento dos reajustes inflacionários referentes a 2019, 2020 e 2021 fossem pagos ainda neste ano. A contraproposta da administração municipal é pagar 14,4% em duas parcelas nos meses de março e julho de 2022; 3,17% mais a inflação do período em 2023 e o restante de 3,16% mais a inflação do período para ser pago em 2024.

O número de servidores que aderiram a greve tem aumentado em virtude do parcelamento do pagamento dos reajustes inflacionários, somado aos prejuízos causados nestes últimos anos, como a perda do abono de final de ano dos servidores que foram afastados por causa da Covid-19, como também, a questão dos professores que trabalharam em home-office usando seus próprios recursos (computador, internet etc.) sem ressarcimentos.

A entidade realizou quatro assembleias da campanha salarial da categoria, sendo a primeira no dia 23 de fevereiro e a última no dia 22 de março. Em todas elas, os servidores aclamaram por greve alegando que estão sendo desvalorizados em todos os âmbitos. A entidade, que traz consigo experiência neste quesito (a última greve foi há 25 anos), esclareceu sobre a legalidade, sanou dúvidas sobre a paralisação e atendeu o pedido da categoria deflagrando a greve.

Lembrando que o manifesto segue de forma pacífica e ordeira sem obstrução na entrada do prédio do Centro Cívico e sem ruas bloqueadas. A diretoria do Sindicato dos Municipais segue insistindo na negociação com a prefeitura para que a solicitações dos trabalhadores sejam atendidas.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também