"Não somos Casas Bahia para parcelar reajuste", reclama servidora municipal de Piracicaba (SP)

“Não somos Casas Bahia para parcelar reajuste”, reclama servidora municipal de Piracicaba (SP)

“Não trabalhamos parcelado pra ter reajuste igual carnê da Casas Bahia”, comentou I.F., que é seguidora do PIRANOT no Instagram quando noticiamos a assembleia dos servidores municipais na noite de ontem (22), em frente ao Centro Cívico.

Fotos: Dario Banzatto/Síndicato

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Piracicaba e Região, a categoria rejeitou a proposta da administração que foi de 10,56%, a partir de 01/03/2022; 3,17% a partir de 01/09/2022; 3,17% a partir de 01/09/2023 e 3,16% a partir de 01/03/2024, totalizando reajuste de 20,06%.

Cerca de 3.000 servidores estiveram presentes, entre cartazes, panelaços e faixas mostraram a suas revoltas, alegando que os gastos aumentaram principalmente por causa dos impostos, IPTU, combustível, dentre outros, demonstrando a inviabilidade da proposta da prefeitura. Ainda em negociação, a assembleia votou na proposta de 15% imediatamente e mais 6% em maio, proposta aprovada pelos servidores que foi encaminhada pelo Sindicato.

Ainda segundo o sindicato, em oficio protocolado nesta quarta-feira, caso não chegue em um acordo na sexta-feira (25), pode haver paralisação.

Apoio popular

Seguidores do PIRANOT apoiaram, nos comentários, os servidores municipais, principalmente pelo coro “Fora Luciano”. Alguns cobraram atitudes dos vereadores pela demanda atual da cidade.

Também tivemos seguidores que lembraram que a Prefeitura aumentou acima da inflação o IPTU e o passe do ônibus. “O Semae não parcela nossas contas de água”, disse outra seguidora.

Os comentários podem ser acompanhados em nossas redes sociais.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também