Funcionários do SAMU de Piracicaba (SP) repudiam racismo contra colega da capital

Funcionários do SAMU de Piracicaba (SP) repudiam racismo contra colega da capital

Fontes do PIRANOT que trabalham no SAMU de Piracicaba (SP), ficaram horrorizados ao tomar conhecimento ontem (21), que um caso de racismo foi registrado contra uma colega de farda na capital e repudiaram a situação. O crime foi no último dia 12, porém viralizou nas redes sociais somente agora.

Foto: Divulgação

Segundo Laura Cristina Cardoso, que é socorrista do SAMU, ela atendia um idoso de 90 anos em um apartamento de classe média na região central de São Paulo. Ele estava acamado por sequelas de um AVC, era diabético, hipertenso e sofria de demência pela idade.

Ao entrar no quarto, onde estavam os parentes com o paciente, racismo começou. “A senhora ficou meio desesperada e gritou: “E agora, filho? Ela é negra.” Aí, o filho respondeu: “Tudo bem, mamãe. Ela está usando luvas”, contou.

Ao finalizar a denúncia, a socorrista diz que nesses casos precisa ter “muita resiliência” e que continuou o atendimento mesmo após a ofensa. “Devidamente atendida pelas minhas mãos negras enluvadas e deixada aos cuidados do hospital privado que a família preferiu”, destacou Laura.

O PIRANOT tomou conhecimento do caso através de suas fontes no SAMU local. Ao encaminharem a notícia em portais de noticias nacionais, os mesmos demonstraram horror e perplexidade com a situação.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também