Após nova alta, valor da cesta básica se aproxima do salário mínimo

Após nova alta, valor da cesta básica se aproxima do salário mínimo

Levantamento mensal feito pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revela alta de 0,03% no valor da cesta básica do paulistano. O preço médio que em 31 de janeiro era de R$ 1.099,98 passou para R$ 1.100,35 em 25 de fevereiro.

O grupo Alimentação apresentou variação positiva de 0,24% e os grupos Limpeza e Higiene Pessoal tiveram variação negativa de, respectivamente, 2,09% e 0,79%. A variação no ano é de 1,14% (base: dezembro/2021).

Os produtos que mais subiram no mês de fevereiro deste ano foram:

  • Batata (kg) 15,23%
  • Biscoito Recheado (pacote 130/150g) 4,79%
  • Leite UHT (litro) 4,55%
  • Sabonete (unidade 90g) 4,42%
  • Feijão Carioquinha (kg) 4,27%

E as maiores quedas foram:

  • Presunto Fatiado (kg) -4,87%
  • Frango Resfriado inteiro (kg) -4,73%
  • Papel Higiênico Fino Branco (com 4 unidades) -4,72%
  • Sabão em Pó (kg) -3,93%
  • Salsicha Avulsa (kg) -3,59%

Dos 39 produtos pesquisados, na variação mensal, 18 apresentaram alta, 19 diminuíram de preço e dois permaneceram estáveis.

Veja a pesquisa completa

Variação anual — fevereiro de 2021 a fevereiro de 2022:

A pesquisa realizada regularmente pelo Procon-SP e Dieese aponta ainda que de fevereiro do ano passado — quando o preço da cesta era de R$ 1.014,63 — para fevereiro desse ano o aumento foi de 8,45%.

Os três produtos com maior variação positiva anual foram: café em pó 500g (85,56%), açúcar refinado pacote 5 kg (48,16%), e biscoito água e sal (41,55%).

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também