Rio Open de 2022 reúne vários atletas de elite e mostra futuro promissor no calendário da ATP

Rio Open de 2022 reúne vários atletas de elite e mostra futuro promissor no calendário da ATP

Desde que foi criado em 2014, o Rio Open se transformou na principal competição de tênis do Brasil. Uma iniciativa importante, principalmente pelo pouco investimento que o esporte consegue atualmente. A era de ouro com Gustavo Kuerten ficou para trás, e a única maneira de repetir esse sucesso é criando uma cultura da modalidade entre os brasileiros. Neste ano, a competição no Rio de Janeiro se destacou pela presença de vários atletas da elite, inclusive alguns do top 10 mundial.

Por exemplo, o cabeça-de-chave do torneio é o italiano Matteo Berrettini, atual sétimo melhor tenista do mundo. Ou seja, é uma presença importante que eleva o nível da competição de ATP 500. Ele não é o único nome conhecido pelos fãs do esporte, pois o torneio também convidou o norueguês Casper Ruud, o argentino Diego Schartzmann e o chileno Cristian Garin. Assim, é possível arriscar que 2022 ficará marcado com um dos melhores Rio Open dos últimos anos.

O sucesso da competição é importante para o Brasil, e não apenas olhando para o esporte, mas até mesmo para a questão econômica. Esses torneios costumam chamar a atenção de turistas, e o Rio de Janeiro é um local que precisa investir nisso. A disputa em 2022 promete gerar uma boa receita, por isso tem uma premiação de quase US$ 2 milhões. Outro aspecto importante é o lado dos atletas brasileiros, que vão acompanhar de perto alguns dos melhores tenistas do mundo.

Não podemos deixar de fora os tenistas convidados para a disputa em duplas, a outra categoria presente no Open Rio. O argentino Horacio Zeballos e o espanhol Marcel Granollers foram convidados, o que significa a presença do 6º e do 7º colocado, respectivamente, do ranking de duplas da ATP. Uma presença também gigante que comprova o crescimento da competição carioca. O tênis está novamente em alta no Brasil, algo que não acontecia desde que Gustavo Kuerten brilhava em quadra por todo o mundo.

Homenagem para Saretta

Além das disputas em quadra, o Rio Open costuma também prestar homenagem a alguns atletas brasileiros que marcaram época no tênis. Um deles, segundo reportagem do blog Betway Insider, é o paulista Flávio Saretta. O ex-tenista atuou no circuito entre 1998 e 2008, tendo conquistado poucos títulos na carreira. Um dos mais importantes foi exatamente no Rio de Janeiro, em 2007, nos Jogos Pan-Americanos. Ele foi o escolhido para ser relembrado em 2022 pelos organizadores da competição carioca.

Em uma entrevista recente, o paulista comentou sobre o torneio de 2022, e exaltou a presença de vários atletas da elite mundial neste ano. “Está muito disputado esse ano. Eu falo três nomes que podem ser favoritos: Berrettini, Casper Ruud, que joga muito no saibro, e o Alcaraz, que, não sei quando, vai ser o novo Nadal”, afirmou Saretta. Ou seja, ele está de olho em tudo que está acontecendo na competição e também no cenário da ATP.

Após se aposentar, Saretta começou a trabalhar como um comentarista totalmente focado no tênis, como mostra o artigo da Betway, site de apostas em tênis. Inclusive, ele foi um dos poucos a comparar Carlos Alcaraz com Rafael Nadal, e ainda garante que o jovem espanhol será o novo rei do saibro. Os curiosos puderam olhar de perto esse atleta no Rio de Janeiro. Só falta ele mostrar toda essa qualidade, seja em 2022 ou até mesmo no futuro, afinal ele tem apenas 18 anos.

Um legado para o futuro

As campanhas vitoriosas de Guga nos anos 90 e 2000 serviram como inspiração para outros atletas, inclusive o próprio Flávio Saretta. Entretanto, o legado não foi bem aproveitado e nenhum outro profissional conseguiu chegar perto dos feitos do catarinense. O Rio Open busca fazer isso de outra maneira, com uma competição que faça a cultura da modalidade ficar mais próxima de todos.

O torneio no Rio de Janeiro demorou alguns anos para se consolidar, mas segue um caminho para ficar cada vez mais importante. Não será surpresa alguma se em alguns anos reunir os melhores tenistas do mundo nas edições. Afinal, o sucesso de público da competição pode fazer com que o Rio Open suba de categoria, e possa dar ainda mais pontos e premiação para os jogadores no calendário da ATP.

Fonte: Unsplash
Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também