Piracicaba (SP): mulher diz ter dormido durante sexo consensual, acorda e relata estupro

Piracicaba (SP): mulher diz ter dormido durante sexo consensual, acorda e relata estupro

Resumindo: vítima diz ter bebido, transou, mas dormiu e não teve força para impedir um segundo “ato” na mesma noite.

Uma estudante de 23 anos acusou um designer, de 24 anos, de estupro, por, segundo ela, não ter autorizado um segundo sexo após um primeiro, minutos antes. Ele nega.

Segundo Boletim de Ocorrência, o crime foi na madrugada do último sábado (01). A vítima conta que passou o Reveillon com o amigo designer, com quem já havia transado em outra data, e ele teria a convidado para dormir em sua casa. Ela aceitou e, na residência dele, na Rua 13 de maio, no Distrito de Tupi, consensualmente, os dois transaram.

Após esse primeiro ato, segundo o documento, a estudante diz que se levantou e se vestiu. Ela alega que dormiu, pois estava cansada e, neste momento, sentiu sua calcinha sendo tirada, mas não teve forças para reagir. Ela disse ainda que os dois beberam na festa, antes de transarem. Ao acordar, acusou o rapaz de estupro e acionou a polícia, além do irmão.

No local dos fatos, a PM ouviu o suspeito que confirmou a versão da suposta vítima até a parte que ela alega ter dormido. Deste ponto em diante, segundo o jovem, os dois fumaram um cigarro e voltaram a transar, consensualmente.

A Polícia Civil vai investigar os casos, porém não achou elementos determinantes que motivassem a prisão do designer.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também