Piracicaba (SP): carro faz manobra irregular, causa acidente e mata jovem de 22 anos

Piracicaba (SP): carro faz manobra irregular, causa acidente e mata jovem de 22 anos

Um motociclista de 22 anos morreu após se envolver em um acidente com um carro dirigido por uma balconista de 38 anos no final da noite de ontem (26), em Piracicaba (SP). Ela não tinha habilitação para dirigir, segundo a Polícia Civil.

Segundo o Boletim de Ocorrência, para a polícia a condutora do carro contou que dirigia na SP-304, trecho que liga Piracicaba a Charqueada, momento em que tentou uma conversão irregular para pegar o sentido oposto, acabando colidindo com a motocicleta dirigida pela vítima fatal.

Ainda segundo o documento, a balconista alegou que parou o carro dois quilômetros depois do acidente e esperou a chegada da polícia. Familiares e amigos do rapaz alegam que ela teria fugido e foi hostilizada no local, sendo removida com escolta policial após ameaças de agressão contra ela.

Na delegacia, a motorista se negou em realizar o exame do bafômetro, porém a mesma não apresentava sinais de embriaguez, segundo a Polícia Civil. Durante o trabalho policial, a mesma esteve presente e foi prestativa, não demonstrando interesse em fugir do local ou se isentar da culpa.

Como se negou em fazer o bafômetro, um médico legista foi chamado para realizar exames e foi constado negativo para embriaguez.

O depoimento na polícia

A motorista foi ouvida com a presença de advogados onde “declarou que, por ter sido retirada a rotatória que existia no local, decidiu realizar a conversão naquele ponto, pois necessitava acessar o bairro – Santana – em que mora, cuja entrada fica no sentido oposto da rodovia (sentido Sul, Charqueada-Piracicaba).”, diz o documento.

“Afirmou que, após olhar para ambos os lados, imaginando que a pista estava livre, decidiu fazer a conversão, a qual sabia ser proibida, momento em que acabou colidindo com a motocicleta conduzida pela vítima, cuja aproximação não percebeu.”, disse.

A motorista disse ainda “que, enquanto tentava ligar para as autoridades para pedir socorro, foi seguida e abordada por parentes da vítima, que passaram a hostilizá-la.”.

Exame na vítima

A Polícia Civil pediu ao IML “realização de exame necroscópico em relação à vítima e também para análise de material hemático fornecido pela investigada, com vistas à constatação de eventual embriaguez” de ambos.

Como não fugiu e foi prestativa com o trabalho policial, além de outros requisitos legais, a motorista foi liberada para responder ao inquérito em liberdade.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também