Mulheres paraquedistas treinam em Piracicaba (SP) para quebrar recordes de queda livre

Mulheres paraquedistas treinam em Piracicaba (SP) para quebrar recordes de queda livre

No próximo fim de semana, sábado (27) e domingo (28), o público poderá acompanhar a preparação para esse desafio

Um grupo de paraquedistas formado só por mulheres escolheu o Aeroporto Municipal Pedro Morganti, em Piracicaba, para treinos: o objetivo é quebrar os recordes brasileiro e sul-americano de formação em queda livre, em competição agendada para novembro de 2022, também em Piracicaba. As atletas têm realizado treinos fechados desde julho, mas no próximo fim de semana, sábado (27) e domingo (28), o público poderá acompanhar a preparação para esse desafio. O treinamento começa de manhã e segue até o fim da tarde, no hangar Azul do Céu.

Foto: Eric Veiga

De acordo com uma das organizadoras do treinamento, Beatriz Ohno, Piracicaba foi escolhida pelas condições climáticas favoráveis e porque o aeroporto oferece melhores condições para que todas as paraquedistas permaneçam concentradas durante a fase de preparação.

Todas as atletas envolvidas neste desafio são filiadas à Confederação Brasileira de Paraquedismo, categoria B. Existem participantes das mais diversas faixas etárias, com idade entre 16 e 57 anos, de vários Estados brasileiros, como Rio de Janeiro, Acre, Manaus, Paraná e São Paulo, além de participantes de outros países, como Chile e Paraguai.

“Independente da dificuldade técnica para a realização de um salto como esse, a iniciativa tem sido desafiadora porque cada mulher tem deixado a sua profissão e família bimestralmente, visando marcar a presença feminina neste esporte eminentemente masculino. Calcula-se que hoje, apenas 9% dos atletas ativos sejam mulheres”, frisou Beatriz.

Recorde atual

O recorde atual de formação em queda livre foi estabelecido em 2014, com 34 atletas formando uma mesma figura geométrica durante o salto. A equipe que está treinando em Piracicaba pretender fazer o salto com até 40 participantes. Dentre os paraquedistas organizadores, o projeto conta com coachs experientes na modalidade, detentores de outros recordes brasileiros, sul-americanos e mundiais de grandes formações.

Foto: Eric Veiga
Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também