GCM de Piracicaba apanha duas vezes de casal paulistano irritado com 'piracicabanos' ao volante

GCM de Piracicaba apanha duas vezes de casal paulistano irritado com ‘piracicabanos’ ao volante

Uma guarda civil de Piracicaba (SP) foi agredida duas vezes por uma mulher e seu marido na porta e na secretaria de uma escola aqui da cidade. Ela também relatou ter sido vítima de xenofobia, já que os agressores alegaram ser paulistanos e não concordarem com o ‘jeito’ dos motoristas da nossa cidade. A Polícia Civil investiga o caso.

Segundo o Boletim de Ocorrência, a servidora municipal, que atua na central de monitoramento da Guarda Civil, buscava os filhos na Escola Municipal Prof. Heitor Pompermayer, na Vila Independência, no último dia 16, quando, próximo da instituição, tentou ultrapassar um veículo, mas desistiu da ação e seguiu seu caminho.

Quando ela estacionou na frente da escola e saiu do carro, o casal que estava no veículo que ela tentou ultrapassar também desceu na frente do local e ambos começaram a xingar e agredir a vítima.

Após ser agredida, ela voltou ao seu carro, chamou a polícia e, ao entrar na escola apanhou novamente da mulher. Durante as agressões, o casal teria alegado que os piracicabanos dirigem mal e que eles seriam superiores por serem “paulistanos”, ou seja, por serem naturais da capital. Isso configura crime de xenofobia.

Diante da terceira onda de agressões, a guarda civil teve que voltar para casa sem pegar os filhos. Ao se recuperar, ela retornou para a escola, onde a polícia já havia chegado e, além de pegar as crianças, registrou o boletim de ocorrência do caso.

A agente pública relatou ao PIRANOT que moverá um processo contra os agressores.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também