Ministério da Saúde nega certificado para quem tomou AstraZeneca e depois Pfizer

Ministério da Saúde nega certificado para quem tomou AstraZeneca e depois Pfizer

Governo não explica motivo da decisão que afeta pessoas que tomaram a AstraZeneca e receberam a segunda dose da Pfizer

Pessoas que usaram um imunizante diferente na 2ª dose reclamam de problema na emissão de certificado no Conecte SUS, o aplicativo oficial do Ministério da Saúde. Apesar de prever a intercambialidade de imunizantes em norma técnica, a pasta admite não fornecer o certificado para quem tomou doses de vacinas distintas. O governo não explica o motivo da decisão.

Todas as pessoas quem já completaram o esquema vacinal contra a Covid-19 (duas doses ou dose única, no caso da Janssen) podem emitir o certificado de vacinação. Por todo o país, há municípios que passaram a exigir o documento para determinados locais ou tipos de evento. O certificado do SUS pode, inclusive, ser usado em viagens internacionais, para onde já é permitida a entrada de brasileiros.

O relato de problemas ocorre principalmente com quem tomou a primeira dose da AstraZeneca e, por falta do mesmo imunizante disponível, acabou tomando uma dose da Pfizer, como previsto pelo governo nestes casos.

*** Com informações do G1

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também