Mercado de venda de imóveis cresce 43% no primeiro semestre, diz diretor do Secovi

Mercado de venda de imóveis cresce 43% no primeiro semestre, diz diretor do Secovi

O mercado de venda de imóveis teve crescimento de 43% no primeiro semestre de 2021 em comparação ao mesmo período de 2020, quando teve início a pandemia da Covid-19 no Brasil. A locação de imóveis também apresentou alta significativa, com aumento de 45% nos seis primeiros meses deste ano em relação ao ano passado. Os dados foram apresentados por Angelo Frias Neto, diretor do Secovi (Sindicato da Habitação) em Piracicaba, na Convenção Secovi 2021 – O Mercado Imobiliário em Debate, que aconteceu em agosto.

Foto: Divulgação/Frias Neto

De acordo com Frias Neto, o mercado imobiliário em Piracicaba está em expansão, com aumento na procura por imóveis comerciais e industriais, além de casas e terrenos em loteamentos fechados ou abertos e apartamentos novos, com conceito de modernidade.

Em função dos juros baixos, também notamos muita procura para investimentos em carteira de locação”, disse o diretor.

Durante a participação na convenção, que este ano chegou à 18ª edição, ele comentou, ainda, o quanto Piracicaba está se desenvolvendo economicamente. Entre os indícios apresentados por ele estão o de que a cidade tornou-se sede da Região Metropolitana de Piracicaba (englobando 24 municípios e população de 1,5 mi de habitantes, com renda per capita de cerca de R$ 44 mil reais) e o de que é a quarta melhor para se viver entre as 100 maiores do país, segundo pesquisa da Marcoplan, empresa de consultoria em cenários prospectivos.

Piracicaba é, inclusive, chamada de Agtech Valley, devido ao desenvolvimento da tecnologia do agrobusiness, com mais de 40 empresas tecnológicas do setor”, falou, acrescentando que o município possui 4 distritos industriais e um parque automotivo.

LANÇAMENTOS – A pesquisa do Secovi em Piracicaba para lançamentos de imóveis residenciais verticais apontou, conforme Angelo Frias Neto, que os estoques remanescentes são baixos, com 1255 unidades, sendo 82% deles econômicos (1030 unidades), o que representa estoque de 10,9 meses. As demais unidades, 225 no total, correspondem a 18% desta oferta em médio e alto padrões, com estoque de consumo de 8 meses.

COMERCIALIZAÇÃO – Os apartamentos de 2 dormitórios econômicos representaram 79% dos lançamentos e 78% das vendas. Quanto aos valores de comercialização, eles estão aumentando. Hoje, os preços praticados para imóveis residenciais verticais estão entre R$ 3.300 e R$ 3.800 por metro quadrados na linha econômica, R$ 4.000 por metro quadrado para supereconômico, R$ 6.300 por metro quadrado as unidades de médio padrão e R$ 8.600 o metro quadrado para alto padrão.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também