Quadrilha ataca agências bancárias e faz moradores reféns; três pessoas morreram

Quadrilha ataca agências bancárias e faz moradores reféns; três pessoas morreram

Criminosos fortemente armados abordaram pedestres e motoristas na madrugada desta segunda-feira (30).

Três agências bancárias foram atacadas por criminosos fortemente armados na região central de Araçatuba (SP), no início da madrugada desta segunda-feira (30). Segundo a Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-SP), estão em andamento buscas para localizar os criminosos. 

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Unidades territoriais da Polícia Militar de Araçatuba, com o apoio de equipes de Bauru, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, além do Águia e da Polícia Civil, participam das diligências.

As forças de segurança já conseguiram deter dois suspeitos de participar da ação. Uma equipe do Grupo de Ações Tática Especiais (Gate ) também está em deslocamento para o município.

A SSP informou que ao menos três pessoas morreram e três ficaram feridas. O caso já é investigado pela Departamento Estadual de Investigações Criminais de Araçatuba, com o apoio da 5ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Furtos e Roubos a Bancos.

A Polícia Militar de Araçatuba disse que pelo menos duas agências bancárias tiveram seus caixas danificados por ação de explosivos e que outras agências foram alvos de disparos de arma de fogo. “Os infratores da lei usaram transeuntes que passavam no local como escudo humano para transitar a pé e com os veículos utilizados na ação criminosa e utilizaram drones para monitorar toda a ação, tanto na chegada ao perímetro urbano quanto na fuga para a zona rural. Foram deixados explosivos em pelo menos 14 pontos da cidade, incluindo um caminhão carregado com emulsão em  frente a uma das agências atacadas”, informou em nota divulgada à imprensa.

Durante a fuga, os veículos utilizados na ação foram deixados para trás com farta munição e armas de grosso calibre, entre elas fuzis calibre .50 e 7.62 mm, além de “miguelitos”, que são artefatos de metal utilizados para furar pneus de veículos.

Segunda a PM de Araçatuba, ainda não há um número exato de suspeitos, “mas estima-se que a ação tenha contado com pelo menos 15 deles no centro da cidade”.

Com a intenção de isolar a cidade, os infratores incendiaram veículos nas pontes do Rio Tietê, em Buritama, e Santo Antônio do Aracanguá. Também incendiaram veículos próximo ao trevo de Guararapes e na praça de pedágio em Glicério, bem como dois veículos no centro de Araçatuba.

Reféns foram colocados em cima de carros durante ataque. Foto: Reprodução/Redes Sociais

A identidade das três pessoas mortas durante a ação criminosa ainda está sendo checada. De acordo com a PM, há informações de que algumas pessoas deram entrada no Pronto Socorro Municipal com ferimentos provenientes de arma de fogo. “Ainda não há o número exato de feridos e nem  sua identificação. Um rapaz, ao passar de bicicleta próximo a um artefato, foi vítima da explosão e teve um das pernas amputada”.

A PM solicita à população  de Araçatuba que evite passar pelo centro da cidade, pois ainda há muitos explosivos no local e pode ser que mais artefatos sejam encontrados. “Caso algum cidadão se depare com algo estranho, por favor, não mexa, ligue para o número de emergência 190. Policiais militares estão trabalhando de forma incansável na busca pelos autores desse delito. Pelo menos dois deles já foram capturados”, acrescenta a nota.

Feridos

A Santa Casa de Araçatuba (SP) recebeu pacientes feridos durante o ataque. Segundo o hospital, todos estão sendo atendidos na Unidade de Urgência e Emergência.

O hospital informou que recebeu um homem de 28 anos baleado no abdômen, com quadro clínico estável. Um segundo homem, de 31 anos, deu entrada na unidade após ser atingido no rosto e nos braços. Outro foi baleado nas pernas, braços e cabeça. Eles foram intubados, mas estão estáveis, apesar dos ferimentos graves.

*** Com informações da Agência Brasil

 

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também