Síndico agredido por funcionário dos Correios rebate críticas e se defende de acusações

O síndico Francys Almeida, que foi agredido por um funcionário dos Correios na sexta-feira (23), rebateu alguns comentários que o criticavam nas redes sociais do PIRANOT. Segundo ele, “as imagens” falam por si.

Foto: PIRANOT

“Aos mentirosos que dizem que eu desrespeitei o funcionário dos Correios, segue imagens, além das provas testemunhais. Os Correios reconheceram o erro e afastaram o funcionário.”, disse. “Há semanas ele destrata as porteiras, infelizmente um péssimo treinamento e omissão dos Correios diante dos protocolos abertos. Nenhuma providência foi tomada.”.

Desde que foi agredido, após exigir que o funcionário da Estatal usasse máscara para entrar em um dos condomínios que ele administra, no Bongue, o síndico tem tido a postura criticada. Para alguns, ele provocou a situação, acuou o trabalhador e, por isso, teria sido agredido. Francys, em nota, disse que não foi isso que aconteceu. “Ele tentou deixar o local depois que chamamos a polícia, tiramos a chave do veículo e, irritado, ele me agrediu”, alegou.

Ainda na sexta, os Correios, em nota, repudiou a atitude do funcionário e anunciou que o afastou das ruas. Um processo interno de averiguação foi aberto e pode terminar com a demissão do mesmo por justa causa. É importante alertar que, funcionários de empresas públicas ou privadas que descumprem medidas contra a Covid-19, seja no uso de máscara ou até mesmo na recusa em se vacinar pode ser demitido por justa causa, dizem alguns especialistas, já que o mesmo coloca em risco a vida dos demais colegas de trabalho pela imprudência.

Confira a nota de Francys Almeida, sobre o caso, na íntegra:

EU, FRANCYS ALMEIDA DA SILVA, síndico profissional, fui covardemente agredido por um funcionário dos Correios, após duas reclamações nos correios on-line. 01 por telefone.

Ele insistia em não usar máscara, ontem não usou e jogou as encomendas na porteira, dizendo que não usaria. Atitudes constantes desde a aposentadoria do carteiro anterior.

Ao tentar entrar no Piazza di Roma, alertei ele da necessidade e obrigação do uso de máscara.

Ele se incomodou, e começou a xingar. Chamamos a polícia, ele se irritou e queria se evadir do local, coloquei os cones na frente do veículo para ele aguardar a polícia.

Ele ficou irritado e me chutou no pé de apoio. Fraturando em 2 lugares.

Esse mesmo funcionário dos correios se nega há semanas a usar máscaras nos condomínios Piazza di Roma e Fontanella.

Ele chutou meu pé direito, fraturando e causando luxação, além de deferir mais chutes e ameaças, infelizmente a polícia militar não tomou as providências de flagrante, visto que ele só cessou as agressões, após intervenção dos funcionários.

Perdoo a atitude do cidadão, mas tomarei as medidas judiciais cabíveis, visto o prejuízo que me causou e a minha família.

O que mais quero é me recuperar, voltar para minha família e continuar meu trabalho, infelizmente a sociedade está derramada em ódio e intolerância. Tudo isso só ocorreu por ele não usar máscara.

Francys Almeida

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também