Piracicaba (SP): "É toda sexta", diz moradora do Bosque sobre festa na "10 do mal"

Piracicaba (SP): “É toda sexta”, diz moradora do Bosque sobre festa na “10 do mal”

O PIRANOT voltou a receber neste final de semana um volume acima do normal de reclamações de pancadões e festas clandestinas em Piracicaba (SP). A cidade tem um decreto municipal com regras mais rígidas do que outros municípios do Estado, o que deveria servir para coibir esses eventos, porém a fiscalização volta a falhar.

Foto: PIRANOT

Uma das reclamações vem do Bosque dos Lenheiros. A famosa “10 do mal” segue a todo vapor, principalmente na pandemia. “Ligamos na polícia e eles falam que vão mandar viatura, mas nada ocorre”, disse uma leitora. O PIRANOT recebeu um vídeo da avenida citada. Veja no final da reportagem.

Diferente da capital, onde a Prefeitura, em parceria com o Estado, coíbem os eventos antes deles começarem, em Piracicaba é diferente. Embora a Prefeitura divulgue que fez operações nos finais de semana, todas publicadas pelo PIRANOT, conforme pode ser conferido no nosso arquivo, não há uma força tarefa para coibir esses eventos. A Prefeitura falha em não pedir apoio para a Polícia Militar para evitar que essas festas comecem e, aparentemente, finge não ver os problemas locais.

Neste final de semana, o PIRANOT recebeu ainda uma reclamação de funcionários do Shopping Piracicaba. Segundo um dos relatos, as medidas impostas pelo prefeito não estariam sendo seguidas pelo centro comercial que, já foi alvo de reportagem anterior no PIRANOT por causar aglomeração. O mesmo alega o de sempre: estar cumprindo os decretos do Estado e da Prefeitura. “Tenho medo de me contaminar e, não tenho escolha, preciso trabalhar”, diz uma das pessoas que reclamou do shopping.

Sobre o shopping, o PIRANOT teve acesso a imagem da lotação no cinema, enviada por um cliente. Caso optemos por exibi-la em breve, antes solicitaremos uma nota aos citados.

Ricos x pobres

Mesmo com as reclamações e até reportagens sobre o shopping, a Prefeitura faz vista grossa para essa empresa. Nenhuma operação lá foi realizada. O foco é sempre festas clandestinas onde, notoriamente, os frequentadores são de classes menos favorecidas. Os bares fiscalizados, também não são os mesmos frequentados pela elite e isso tem gerado reclamações ao PIRANOT, pois é “estranho”.

Vídeo da 10 do mal

O PIRANOT precisou embaçar a imagem, pois mostra o rosto dos frequentadores, todos sem máscara.

 

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também